Tá nas redes - Ronaldo se defende por vídeo na internet: "Edição tendenciosa"

O ex-atacante e dirigente do Comitê Organizador Local (COL) Ronaldo usou a rede social Twitter, na manhã desta quarta-feira, para se justificar em relação a um vídeo que se espalhou pelas redes sociais. No vídeo, exposto em meio a protestos por todo o país contra a Copa, o jogador aparece dizendo que "Copa do Mundo não se faz com hospitais", declaração dada em uma entrevista no fim de 2011.

>> Veja aqui o vídeo

"Um pessoal postou um vídeo editado com declarações minhas sobre a Copa de dois anos atrás. Posso de fato não ter me expressado tão bem e a edição que eu vi na internet é bastante tendenciosa", afirmou o jogador, que aproveitou para contestar a divulgação das imagens nesta semana. "Era outro contexto. Não é justo usar como se fosse dito essa semana", explicou-se. 

A defesa do ex-jogador ainda envolveu a mudança em relação às declarações dadas em 2011. Desta vez, ele passou a defender investimentos em serviços públicos, uma grande demanda da maioria dos manifestantes que saíram às ruas por todo o País.

"A Copa é uma incrível oportunidade para o Brasil. Chance de atrair atenção, investimento, turismo e mais mil coisas. Mas isso não obriga a deixar de investir em questões sociais prioritárias como saúde, educação, transporte, segurança e etc", postou Ronaldo.

O atual dirigente do COL não parou apenas em sua defesa e na defesa da Copa do Mundo de 2014, mas aproveitou também para criticar a falta de investimentos para a população em toda a história brasileira.

"São 63 anos sem a Copa e não se viu bilhões destinados às questões sociais. Duvido que nosso País estaria uma vírgula melhor se não tivesse escolhido fazer o Mundial de 14", afirmou. Ronaldo ainda disse que sente "orgulho" pelo protesto e que espera que se "espalhem cobrando, todos os anos, a melhor gestão do gasto público".

>> Manifestantes marcam protesto em frente à casa de Cabral

>> Manifestação do dia 20 quer reunir 1 milhão no Rio

>> Músicas embalam os protestos por todo o país

>> Conta hackeada no Instagram não era de Dilma Rousseff

>> Famosos se manifestam no Twitter sobre protestos

>> Site cria "vaquinha" após carro ser queimado

>> Após manifestação nesta segunda, SP marca outra para hoje

>> Redes sociais contabilizam 79 milhões falando sobre os protestos no Brasil

>> Manifestantes relatam 'dia histórico' de protestos pelo país

>> Manifestantes procuram onde vai ter protesto