Maior espetáculo de luz e som do país emociona cariocas e turistas em Copacabana

Dezesseis minutos de fogos garantem atração durante réveillon

Enquanto uns choram, outros vibram. Outros, um pouco mais eufóricos, berram. Há também aqueles que preferem não dizer nada. Estáticos, admiram cada um dos fogos que desenha o céu da orla de Copacabana, na Zona Sul carioca. Não é à toa que o espetáculo reúne mais de 2 milhões de pessoas, segundo informações da organização do evento.

"É lindo demais. Maravilhoso", diz, extasiada, a baiana Rosemery Cardoso Aguiar, 23 anos, ao segurar o celular ela procura não perder nenhum registro do espetáculo. Ela trouxe a filha Mariana, de 5 anos, pela primeira vez, para acompanhar a festa.

A comemoração deste ano teve como tema o título de Cidade Patrimônio Cultural da Humanidade, concedido pela Unesco em julho de 2012 por sua paisagem urbana única. O sincronismo dos fogos a música roubou a cena. 'Aquarela do Brasil' instrumental tocava enquanto o céu era coberto de estrelas, cascatas e meteoros coloridos. Também teve espaço para música instrumental e forró.

>> Diogo Nogueira interrompe briga: "Se não parar esta p..., eu não canto mais"

>> Claudia Leite canta de Roberto Carlos a 'É o Tchan' e rasga roupa no palco

>> Réveillon de Copacabana tem 2,3 milhões de pessoas; 300 mil a mais que ano passado

>> Sorriso Maroto encerra show: "2013 foi um ano de transformação"

"Por isso é que eu venho do Imbariê para cá", diz a servente Teresa Miranda, 42 anos, que montou barraca com bolas amarelas na areia e trouxe amigos e familiares. "Venho há muitos anos. É uma festa maravilhosa. Energia ótima, não tem como ficar de fora", confessa. 

O evento começou oficialmente às 18h, com apresentações de grupos e artistas como Sorriso Maroto, Diogo Nogueira, Claudia Leitte e a campeã do The Voice Brasil, Ellen Oléria, entre outros. À meia-noite, momento mais esperado por todos, 24 toneladas de fogos de artifício - distribuídas em 11 balsas, iluminaram o céu do Rio durante 16 minutos. 

Vindos de Porto Rico para o Rio de Janeiro para conhecer o réveillon mais famoso do mundo,  o casal Sonia Miranda, 38, e Janko Farias, 47, foi só elogios à festa carioca:

"É a primeira vez que viemos ao Rio e eu quero voltar o mais rápido possível. Em Porto Rico me pediram para tomar cuidado com assalto, mas a coisa vai bem. Não me deparei com nenhum assaltante, nenhum tipo de violência. É uma festa popular, de família. Estou apaixonada", disse Sonia.

Recém-chegada de Porto Alegre , a auditora Camila Barcelos disse estar impressionada com a grandiosidade do evento.

"Fugi da chuva do Sul e corri para o calor do Rio. Não me arrependo., A festa está linda e sem violência nenhuma. Quero voltar em outros grandes eventos como o carnaval", programa-se. "A criatividade do carioca chama muita atenção", destacou, admirada com as barracas brancas decoradas à beira-mar. 

Palco de 65 metros

O palco principal tem 65 metros - dez a mais do que o do último ano - e é uma das grandes atrações da festa. São utilizados milhares de miniPADs de LED, trazidos da Bélgica, que estão presos de forma pulverizada em uma malha que ocupa todo o fundo do palco. O equipamento, utilizado pela primeira vez no Brasil, é o mesmo das cerimônias dos Jogos Olímpicos de Londres, onde o público, na arquibancada, segurava as estruturas luminosas, ajudando no espetáculo.

R$ 17 milhões

A famosa festa na orla custou R$ 17 milhões. Tudo pago por cinco patrocinadores. Já nos outros nove palcos espalhados pelo estado - Queimados (Baixada Fluminense), Sepetiba, Guaratiba, Ilha do Governador, Paquetá, Flamengo, Madureira e Piscinão de Ramos - o orçamento ficou por conta da Riotur. A cifra investida, no entanto, não foi divulgada pela empresa.