Bahia registra 56 mortes desde anúncio da greve de PMs

O número de mortos depois que policias militares da Bahia decretaram greve já chega a 56. As informações são da  Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) e os números são referentes ao período das 21h de terça-feira (31) até às 18h30 deste sábado (4).

Ainda segundo a secretaria, 43 homicídios foram cometidos em Salvador. Outros 13 foram registrados na Região Metropolitana de Salvador.

>> BA: Exército acompanhará retorno às aulas da rede pública

>> Com chegada de militares, sábado é menos tenso em Salvador 

Viaturas recuperadas

As 16 viaturas apreendidas ilegalmente por manifestantes ligados à Associação dos Policiais, Bombeiros e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), entidade que lidera a greve dos policiais militares no Estado, foram recolhidas na manhã deste sábado pela Polícia Militar. Os veículos, que eram mantidos em um dos acessos à Assembleia Legislativa da Bahia, em Salvador, foram levados para o Departamento de Apoio Logístico. Os que tiveram os pneus furados durante a paralisação dos PMs serão recuperados para auxiliar no trabalho de policiamento ostensivo.

A operação de recuperação das viaturas foi em cumprimento a um mandado de reintegração de posse expedido pela Justiça baiana. De acordo com o coronel Gilson Santiago, diretor de Comunicação da PM, havia uma preocupação com o trabalho de resgate, mas ele foi realizado sem problemas. "Agora, estamos trabalhando junto ao departamento competente da PM para que essas viaturas voltem o mais rápido possível para a operação normal das ruas de Salvador", disse o coronel.

Greve

A greve dos policiais militares da Bahia, que completou neste sábado quatro dias, motivou uma onda de violência na capital. Desde a quarta-feira, a região metropolitana de Salvador registrou 56 homicídios.

A ausência de policiamento nas ruas causou dezenas de saques e violência em todo o Estado. Só na sexta, 58 carros foram roubados e algumas lojas arrombadas e saqueadas. Cerca de 3 mil militares da Força Nacional e de unidades das Forças Armadas estão sendo enviados ao estado para fazer a segurança da população. Mais 4 mil militares da 10ª Região Militar, em Fortaleza, no Ceará, podem ser deslocados para reforçar o policiamento na Bahia.

Com Portal Terra