Após negar inúmeras vezes, renúncia de Cunha comprova que ele não diz a verdade

Desde o final do ano passado, o deputado afastado Eduardo Cunha vem repetindo, de forma enfática e reiteradas vezes, que não havia possibilidade de ele renunciar à Presidência da Câmara.

O pronunciamento desta quinta-feira (6), no qual finalmente apresentou sua renúncia, comprova que realmente ele não diz a verdade.

Veja algumas das vezes em que Cunha afirmou que não renunciaria:

>> 21 de agosto - Cunha: "Não há a menor possibilidade de eu não continuar no comando da Câmara"

>> 7 de outubro - "Não há a menor possibilidade de eu renunciar ou me licenciar"

>> 9 de outubro - 'Não vou renunciar a meu mandato, vou persistir', diz Cunha

>> 19 de outubro - Cunha nega renúncia e rebate declarações de presidente Dilma

>> 15 de dezembro - Cunha estranha ação da PF e descarta hipótese de renúncia

>> 5 de maio - Após afastamento, Eduardo Cunha diz que não renunciará

>> 21 de junho - Cunha nega renúncia e a intenção de fazer delação

>> 30 de junho - Apesar das pressões, Cunha reafirma: "Não irei renunciar"