Na rede, secretário de Cultura recebe ameaças e críticas dos internautas

Leitão trocou farpas com usuários do Twitter nesta terça-feira (26)

O secretário de Cultura do município do Rio, Sérgio Sá Leitão, afirmou em seu Twitter que recebeu ameaças e ataques virtuais, depois de expressar a sua opinião sobre a Aldeia Maracanã na semana passada. Temendo represália e até mesmo, para preservar a sua "integridade física", Leitão faltou à primeira audiência pública da gestão atual da Secretaria de Cultura, promovida pela Comissão de Educação e Cultura realizada nesta terça-feira (26), o que provocou novamente a reação dos internautas.

>> Por temer falta de segurança, secretário de Cultura não comparece a audiência

A maioria dos apoiadores dos índios pode ter se informado da reunião pelo fato de os artistas terem realizado uma mobilização virtual para comparecer à audiência pública. Eles, que aguardavam a presença do secretário para dar soluções a respeito dos teatros e casas culturais, além de se inteirarem dos trabalhos da secretaria, não entenderam a ausência do secretário. 

A indignação dos ativistas e índios da Aldeia Maracanã foi maior a respeito da sua opinião quanto à postura do Batalhão de Choque, na desocupação dos índios, no prédio do antigo Museu do Índio, ocorrida na sexta-feira passada (22).

O secretário retuitou um post de um seguidor que dizia: "Pergunta a João Saldanha, candidato a vice-prefeito do Rio em 1985: 'E a questão indígena?'. 'Índio? No Rio? Só se for do Cacique de Ramos' ".

"A tal "aldeia Maracanã" é uma ficção pseudoantropológica criada pelos reacionários dogmáticos de sempre e acalentada pelos ingênuos de sempre", disse também na mesma data em que houve a desocupação do imóvel, em seu Twitter.

Hoje, porém, ele se defendeu dos ataques ressaltando suas ações em defesa de índios: "Vale lembrar também que fui um dos idealizadores e executores do primeiro edital de apoio a projetos de cultura indígena realizado no Brasil", postou na rede. 

Bate-boca virtual

Apesar de não comparecer à audiência pública, Sérgio Sá passou toda a manhã rebatendo as críticas e as ofensas levantadas pelos seguidores em seu microblog. Um usuário minimizou as ameaças sofridas pelo secretário, que em troca, ironizou com uma 'conhecida' ofensa ao cidadão. 

Outra usuária, insistia ao longo da audiência para que o secretário comparecesse à Câmara. "Não consigo entender que isso possa impedi-lo de dialogar com os setores culturais que aqui estão pacificamente", queixou-se ela. Em resposta, Sérgio disse: "Vc garante que todos aí estão a fim apenas de debater? A segurança da Câmara infelizmente não garante. Não posso arriscar", alegou.

>> Artistas protestam contra “sucateamento" dos teatros 

Já em outra postagem, um cidadão ofendeu o secretário, com um termo que dá a entender que o secretário 'amarelou'. Irritado, Leitão também respondeu a esta e outras provocações. No entanto, ele se comprometeu a discutir a Cultura em nova audiência. "É importante lembrar que a audiência pública foi convocada pela Comissão de Educação e Cultura a meu pedido. Reitero o interesse no diálogo. (...)É difícil dialogar num contexto de ameaças e fanatismo. Mas a disposição continua. Será mais produtivo com calma. (...) Já falei... E repito. Eu quero debater a política pública de cultura da cidade. Mas em segurança. E racionalmente. Teremos outras chances!", declarou no seu perfil.