PM morta após ser baleada no rosto é sepultada na Zona Oeste do Rio

Durante velório, mulher fotografa corpo e é detida

O corpo da policial militar Drielle Lasnor de Morais, de 24 anos, foi sepultado no Cemitério Jardim Sulacap, Zona Oeste do Rio de Janeiro, às 14 horas deste domingo (21). A PM faleceu na manhã de ontem, após levar um tiro no rosto durante uma perseguição policial na Estrada da Água Branca, também na Zona Oeste, no último dia 25 de maio. Seu corpo estava sendo velado desde as 23h do sábado. 

>> Morre PM baleada em perseguição na Zona Oeste

Drielle entrou na corporação em março de 2014 e pertencia ao 14º BPM de Bangu, o mesmo onde seu pai também trabalhava quando foi morto em serviço, há dez anos. Na época, a policial, com 15 anos, já era órfã de mãe há dez. 

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, seu estado era muito grave e ela corria o risco de ficar tetraplégica. 

A equipe de Drielle desconfiou de um carro modelo Gol da cor verde que fugiu quando os PM's se aproximaram. Dentro do carro havia três homens que atiraram na viatura da polícia e um dos tiros acertou a soldado. 

Na perseguição, ele bateram o carro em um muro e dois deles foram presos em seguida. O terceiro homem conseguiu fugir. A policial foi socorrida e levada para inicialmente para o Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, e posteriormente transferida para o Hospital Alberto Torres. 

Mulher fotografa corpo durante o velório e é detida

Uma mulher fotografou o corpo da soldado durante o velório, mas foi detida pelos presentes ao tentar fugir. Segundo policiais militares, ela enviou a imagem pelo celular antes da apagá-la. A mulher não teve a identidade revelada e foi encaminhada à delegacia.