Em encontro no apartamento de Aécio, Cabral abre mão do Senado por Cesar Maia

O ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) desistiu de sua candidatura ao Senado, pelo Rio de Janeiro, ao anunciar em suas contas nas redes sociais que iria concluir “uma aliança que tem por objetivo garantir as conquistas sociais e econômicas” que, segundo ele, seu governo promoveu “nos últimos sete anos e seis meses". Tal aliança trata-se de uma coligação com PSDB e DEM - desta forma, o ex-prefeito César Maia será o candidato a senador. 

O anúncio oficial desta nova aliança ocorreu na manhã desta segunda-feira, num hotel no centro do Rio de Janeiro, do qual participarão o atual governador e candidato a mais quatro anos de mandato, Luiz Fernando Pezão e o presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani.

A decisão foi tomada domingo (22) pela manhã numa reunião no apartamento de Aécio Neves - adversário de Dilma Rousseff na disputa pela Presidência da República -, no Rio de Janeiro. Dilma, por sua vez, já declarou que apoiará Pezão na disputa pelo governo do Rio

Além do tucano, participaram do encontro Sérgio Cabral, Pezão, Cesar Maia e o presidente estadual do PMDB, Jorge Picciani, responsável pela organização do Aezão. No início do mês, Picciani fez um almoço festivo para pregar o voto em Aécio Neves e na reeleição de Pezão.

>> Eleições: 57% dos jovens entre 16 e 24 anos não têm interesse em votar

<< Pezão oficializa palanque para Aécio Neves no Rio de Janeiro

>> Cabral desiste do Senado e dá lugar a César Maia em aliança

>> Antigos rivais, Garotinho e Cesar Maia fizeram aliança contra domínio de Cabral

>> Paes declara apoio a Dilma e cita 'bacanal eleitoral' no Rio

>> Eleição: no Rio, Dilma elogia Pezão, sucessor de Cabral, que se une a Aécio

>> Cesar Maia, que se aliou a Pezão, já atacou Cabral, Dilma e Lula

>> Em São Paulo, Alckmin e Paulo Maluf também fazem o jogo das contradições