Dilma propõe Constituinte para reforma política e mais quatro pactos nacionais

Na abertura da reunião de Dilma Rousseff com governadores e prefeitos no Palácio do Planalto, nesta segunda-feira (24,) a presidente anunciou a apresentação de cinco pactos nacionais, que terão como alvo a responsabilidade fiscal, a reforma política, a mobilidade urbana, a saúde e a educação. No item reforma política, Dilma vai propor um plebiscito para criar uma Constituinte exclusiva para a reforma politica.

O encontro, motivado pelas recentes ondas de protesto no país, foi realizado logo após a reunião de Dilma com líderes do Movimento Passe Livre, que deram início às manifestações.

A presidente destacou o momento delicado por que passa o Brasil e enfatizou que objetivo do encontro é a busca por soluções e respostas para os brasileiros. "O povo está nas ruas dizendo que quer que as mudanças continuem e se ampliem. Cabe a todos nós cumprir esta nova e decisiva dimensão da vontade popular."

>> Centrais definem pauta para encontro com Dilma

>> Ex-presidente do STF diz que 'Constituinte exclusiva' é 'despropósito'

>> Bancada do PT no Senado anuncia apoio às propostas de Dilma

>> Ministro das Cidades reconhece que transporte público é deficiente

Dilma detalhou os cinco pactos propostos aos governadores e prefeitos:

Responsabilidade fiscal - O objetivo é manter a estabilidade econômica e o controle da inflação. "Isso é fundamental num cenário de crise mundial" 

Reforma política - A ideia é construir ampla e profunda reforma política que amplie a participação popular. "O tema já entrou e saiu de pauta várias vezes. Vamos romper esse impasse", disse, acrescentando que vai propor debate sobre plebiscito popular para criar uma Constituinte exclusiva para a reforma politicaDilma destacou o combate mais contundente contra a corrupção, criando uma nova legislação que equivaleria corrupção dolosa  ao crime hediondo.

Saúde - Investimentos em hospitais, UPAs e unidades de saúde e a contratação de médicos estrangeiros onde houver demanda maior que a oferta. "Digo à classe médica que esta não é uma medida hostil e desrespeitosa, é medida emergencial por causa da dificuldade de encontrar profissionais para áreas remotas e pobres do país", disse Dilma

Transporte - Investimentos em metrôs, VLTs e corredores de ônibus. "Já desoneramos impostos para redução de tarifas, mantivemos congeladas tarifas de metrô e trens do governo federal. Agora estudamos desonerar PIS e Cofins para o diesel", afirmou , acrescentando que será criado um Conselho Nacional de Transporte Público com a participação do usuário e da sociedade civil.

Educação pública - Dilma destacou a formação e a valorização dos educadores e reforçou a luta  para que 100% dos royalties de petróleo e 50% do pré-sal sejam destinados ao setor. "Confio que os congressistas aprovem o projeto."