Igreja procura Papa mais jovem, sugere o 'El País'

Nessa situação, há 40 cardeais, 72 estão no limite

O artigo do jornal espanhol El País, publicado na quarta-feira(13) com o título de "À procura de um Papa mais jovem" (Se busca un papa más jovem), sugere que a Igreja necessita de um jovem papa - "alguém que transmita vida, sentimentos e não puro conhecimento teológico". Por jovem, entenda-se alguém na faixa entre 60 e 70 anos. "Nessa situação, há 40 cardeais. Há mais cinco entre os 50 e os 60 anos. A maioria dos religiosos que participarão do conclave - precisamente 72 - estão no limite de idade (entre 71 e 79 anos)", diz o artigo.

O jornal aponta que além da idade, a nacionalidade tem peso na escolha e lembra que os italianos formam o maior bloco de arcebispos, com 28 integrantes. "Os italianos, que dirigem a Curia vaticana desde que se tem lembrança, tiveram que ceder o protagonismo para acomodar a natureza multinacional da Igreja. Há 35 anos não há um Papa italiano, mas não se pode subestimar seu poder ou preponderância no conclave".

No artigo, são feitas especulações pelos meios de comunicação insinuando a possibilidade de que Joseph Ratzinger tenha se despedido somente após deixar preparado seu sucessor.  "Indicam, inclusive, o nome do cardeal que o sucederia: o francês Jean-Louis Tauran, que em abril completa 70 anos. Tauran, que preside o Conselho Pontifício para o Diálogo Interreligioso, é um diplomata poliglota".

O El País levanta ainda a possibilidade de que o próximo Papa seja de fora da Europa, e inclui o arcebispo de São Paulo, Pedro Odilo Scherer, 63, como um dos possíveis sucessores. "Os candidatos mais bem situados seriam o canadense Marc Ouellet, de 68 anos, que preside o ministério dos bispos; o ganês Peter Appiah Turkson, de 64 anos, que dirige o Conselho de Justiça e Paz, no Vaticano; e o brasileiro Pedro Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, de 63 anos. As especulações devem terminar no fim de março". conclui.

>> Veja também