Fifa bane Marin e mais dez por escândalo de corrupção

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) a anunciou na tarde desta quarta-feira o banimento provisório de 11 dirigentes e executivos envolvidos no escândalo de corrupção que provocou a prisão de sete pessoas ligadas à entidade em Zurique. Entre eles está José Maria Marin, presidente da CBF até abril deste ano. Todos estão proibidos de exercer qualquer atividade em nível nacional e internacional relativas ao futebol .

Os demais banidos são Jeffrey Webb, Eduardo Li, Julio Rocha, Costas Takkas, Jack Warner, Eugenio Figueredo, Rafael Esquivel, Nicolás Leoz, Chuck Blazer e Daryll Warner. 

>> Marin, ex-presidente da CBF, e executivos da Fifa são presos por corrupção

>> Está na hora de o governo brasileiro apertar o cerco contra a CBF

>> Romário chama Marin de "corrupto e ladrão" e Del Nero de "safado e ordinário"

>> CBF diz que apoia investigações sobre esquema de corrupção na Fifa

>> Justiça dos EUA diz que há indícios de suborno em contratos da CBF na Copa do Brasil

>> Dirigentes da Fifa presos na Suíça serão extraditados para os Estados Unidos


Veja abaixo todos os indiciados e seus respectivos cargos:

Alejandro Burzaco - 50 anos,  argentino, executivo

Aaron Davidson - 44 anos, americano, executivo

Rafael Esquivel - 68 anos, venezuelano, presidente da Federação Venezuelana de Futebol

Eugenio Figueredo - 83 anos, uruguaio, ex-presidente da Conmebol

Hugo Jinkis - 70 anos, argentino, executivo

Mariano Jinkis - 40 anos, argentino, executivo

Nicolás Leoz - 86 anos, paraguaio, ex-presidente da Conmebol

Eduardo Li - 56 anos, costarriquenho, presidente da Federação de Futebol da Costa Rica

José Margulies - 75 anos, brasileiro, executivo

José Maria Marin - 83 anos, brasileiro, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol

Julio Rocha - 64 anos, nicaraguense, presidente da Federação Nicaraguense de Futebol

Costas Takkas - 58 anos, caimanês, braço-direito do presidente da Conmebol

Jack Warner - 72 anos, trintino, ex-presidente da Concacaf

Jeffrey Web - 50 anos, caimanês, vice-presidente do comitê executivo da Fifa


No comunicado divulgado no começo desta tarde, a Fifa ainda explica que a decisão foi tomada após a requisição do membro do comitê, Cornel Bórbely, baseado no artigo 83 do Código de Ética da Fifa.

"As acusações são claramente relativas ao futebol e são de natureza tão grave para uma ação imediata. Os procedimentos agora irão seguir seu curso normal de acordo com o Código de Ética da Fifa", disse o chefe do comitê, Hans-Joachim Eckert.