Agenda da semana de 9 a 14 de outubro

Semana agitada como a coluna adora,com festa da música contemporânea brasileira, semana internacional de música de câmara,dia das crianças com concerto e balé, recitais em série diária, orquestras no palco,o prestíssimo que o Rio de Janeiro sempre devia ter,cultura para todo tipo de gosto,de bolso e sobretudo sem interrupção. Claro com tanta agitação,vale a pena clicar aqui na foto abaixo e relaxar ouvindo,como sempre,o melhor da música clássica para os leitores.Boa semana!

BIENAL – Agitação no Rio de Janeiro com a realização da XXI Bienal de Música BrasileiraContemporânea,compositores de todo o país na cidade para o evento que terá o concerto de abertura no dia 10 de outubro,às 17 horas,no Theatro Municipal do Rio de Janeiro,e no palco a Orquestra Juvenil da Bahia,Neojiba,com regência de Eduardo Torres e Ricardo Castro. Serão ouvidas obras dos compositores Jorge Antunes, Paulo Costa Lima, Lucas Duarte, Eli-Eri Moura e Liduino Pitombeira. A coluna informa o programa integral dos quatro primeiros concerto,de acordo com informações do evento. 

Dia 11 de outubro às 19h na Sala Cecília Meireles 

O segundo concerto com obras inéditas da XXI Bienal de Música Brasileira Contemporânea traz nove estréias mundiais para o palco da Sala Cecília Meireles: Kairos II resposta a Chronos IX de Silvio Ferraz,A moça e o velho relógio de José Augusto Mannis, Estudo para dois violinos de Sam Cavalcanti,Escondido num ponto de Alexandra Ficagna,Improviso para duo de violoncelos de Raul do Valle,Canção do Tio Barnabé de Luis Cosme,in memoriam,Sambaquis de Mário Ferrara,En el hondo silencio de la noche de Aylton Escobar e O peso do Eco de CaduVerdan.Um dos destaques deste recital é En el hondo silencio de la noche de AyltonEscobar,peça extraída de uma série de pequenos poemas escritos em espanhol pelo compositor,que foram transformados em uma cena dramática na qual a personagem se expressa por meio da multiplicação da própria voz, sua comoção caminhando por entre os instrumentos.O solo inicial revive,com alterações pontuais,uma peça dedicada em 2001 à memória de Almeida Prado.Intérpretes: Cristiano Alves,clarineta,David Chew,violoncelo,pianistaMidori Maeshiro e o  Coro Brasil Ensemble da Escola de Música da UFRJ e a festejada regente Maria José Chevitarese.

Dia 12 de outubro às 19h na Sala Cecília Meireles

O terceiro concerto com obras inéditas da XXI Bienal de Música Brasileira Contemporânea traz seis estréias mundiais no palco da Sala Cecília Meireles: Ecos na Catderal de GilsonBeck,Ultimum spiritum de Caio Pierangeli, Elogio da sombra de Harry Crowl, Variações poéticas sobre um sertão esquecido de Wellington Gomes,Concerto Grosso de J. Orlando Alves e Furioso de Marlos Nobre.

Um dos destaques desta noite é Furioso Opus 121 de Marlos Nobre,escrito para orquestra de cordas em dois grupos independentes. A peça continua a desenvolver o processo atual do compositor de trabalhar com o total cromático sem estabelecer séries ou qualquer outro tipo de organização ou sistematização prévia do material. “Assim vou compondo por ‘impulsos’ mas submetendo-os constantemente a uma análise crítica permanente.

O que importa é a ‘minha’ lógica do discurso sonoro a partir de uma improvisação mental constante”, define o compositor. Intérprete: Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro,naipe de cordas, regência: Luis Gustavo Petri.

Dia 13 de outubro às 19h na Sala Cecília Meireles

O  quarto  concerto com obras  inéditas da XXI Bienal de Música Brasileira Contemporânea traz dez estréias mundiais para o palco da Sala Cecília Meireles: Se as árvores nascessem  das nuvens de Tauan Gonzalez Sposito, Guturduo de  Alexandre Lunsqui, O  Catraz II –  Engenhoca para viola solo (Daniel Guedes),Improviso para flauta solo de H. J. Koellreuter,Signo Austral de Victor Ramirez,Vento sob os dedos de Gustavo Penha , Pimenta Malagueta de RicardoTacuchian,Entrada harmônica e frevo canônico de Edino Krieger,Et facta est procela magnaventi de Maurício Dottori, e Variações livres para quinteto de sopros de Caio Márcio dos Santos. Alguns dos destaques deste recital são  Improviso para flauta solo de H. J.Koellreuter,composto entre 1938 e 1939,foi a primeira obra do gênero composta no Brasil. Intérprete: flauta,Tahyná Oliveira.Pimenta Malagueta de Ricardo Tacuchian,para  violino  solo, integra  a Série especiarias, que é constituída por peças para todos os instrumentos musicais.Intérprete: Carla Rincón,violino.Entrada harmônica e frevo canônico de Edino Krieger, composta em 2014 para esta Bienal,é dedicada à Guerra-Peixe,in memoriam,no ano de seu centenário de nascimento.Intérprete:Quinteto Villa-Lobos.

Dia 14 de outubro às 19h na Sala Cecília Meireles 

O quinto concerto  com  obras  inéditas da XXI Bienal de Música Brasileira Contemporânea traz nove estréias mundiais no palco da Sala Cecília Meireles: Jogo dos espelhos mutantes de Matheus Bitondi,Soproinverso de Sérgio Kafejian,Réplicas de Ronaldo Miranda,Toada para flauta solo de Danniel Ferraz, Proto movimento de Henderson Rodrigies, Zikhronot de Roseane Yampolschi, A vinte dias do fim de Paulo Rios Filho, Mixturede Paulo Henrique Raposo e (Im)pulsos de taipa de Marcílio Onofre.

Um dos destaques deste recital é Réplicas de Ronaldo Miranda,cujos três movimentos – Incisivo, Lúdico e Lírico - exploram texturas,dinâmicas e ritmos diversos,com os recursostímbricos dos dois instrumentos de madeiras,clarineta e fagote. O discurso sonoro flutua do mais exacerbado virtuosismo à mais plena contemplação. Intérpretes: clarineta Luís Afonso Montanha e fagote Fábio Cury. Ingressos e informações: 2332-9223Confira a programação completa da XXI Bienal de Música Brasileira Contemporânea emhttps://www.funarte.gov.br/musica/xxi-bienal-de-musica-brasileira-contemporanea/

Ingressos e informações: 2332-9223

CÂMARA -  Começa a IV Semana Internacional de Música de Câmara do Rio de Janeiro,que este ano acontece até o dia 17 de outubro,na Cidade das Artes.Criado e dirigido pela pianista Simone Leitão,o festival destaca o grupo dinamarquês Ensemble MidtVest,que tem como primeiro violino a carioca Ana Feitosa,o Ariana String Quartetdos Estados Unidos,e a pianista russa Sofya Gulyak,que se apresenta pela primeira no Rio em uma formação de câmara. Ingressos e informações: Cidade das Artes - 3325-010

MUNICIPAL – O Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta dias 8 e 9 outubro,às 20h e dias 11 e 12,às 17h,o espetáculo Apoteose da Dança com o Ballet e a Orquestra Sinfônica do TMRJ com um programa duplo com as coreografias Age of Innocence, com músicas de PhilipGlass e de Thomas Newman com coreografia de Edwaard Liang e a Sétima Sinfonia com música de Ludwig V.Beethoven com coreografia, cenários e figurinos de Uwe Scholz. No palco os primeiros bailarinos Claudia Mota,Márcia Jaqueline e Francisco Timbó,além dos solistas Deborah Ribeiro,Karen Mesquita, Priscila Albuquerque, Priscilla Mota, Renata Tubarão,EdifrancAlves,Cícero Gomes,Filipe Moreira, Moacir Emanoel e Rodrigo Negri que irão se revezar nas duas coreografias ao longo das récitas nos dias 9, 11 e 12 de outubro. O Ballet do TMRJ tem direção artística das primeiras bailarinas Ana Botafogo e Cecília Kerche e o concerto terá a regência do maestro Tobias Volkmann.Ingressos e informações – 2332-9191

OPES – A Orquestra Petrobras Sinfônica faz importante celebração na semana das crianças com o novo arranjo de A Arca de Noé, de Vinicius de Moraes e versão criada pelo arranjador Mateus Freire, o conjunto fará apresentações em dois fins de semana,na Sala Cecília Meireles e no Espaço Tom Jobim. O arranjador e violinista paraibano Mateus Freire teve a encomenda os arranjos inéditos para 15 histórias do clássico infantil,último projeto artístico do Poetinha e que ganhou vida nos anos 80,especialmente nas vozes de Chico Buarque e Elis Regina. Os concertos serão dias 10 às 16h e 11 às 11h,no Espaço Tom Jobim, dentro do parque Jardim Botânico. Todas as apresentações terão a participação da soprano Juliana Franco,do barítono e ator Sandro Christopher e todos serão dirigidos pelo violinista e regente Felipe Prazeres,que já aos 14 anos atuava como solista frente à Orquestra Petrobras Sinfônica,da qual é spalla desde 2001 e Regente Assistente desde 2013. Graduado pela UniRio,sob orientação de PauloBosísio,fez seu pós-graduação na Academia de Santa Cecilia,em Roma,na classe de DomenicoNordio. É muito importante que as crianças sejam acostumadas a ouvir a música clássica. Ingressos e informações: Espaço Tom Jobim – 2274-7012

CD – Hoje às 20h,será o lançamento do CD Quebra o Coco – Andreia Lira na Sociedade Filarmônica de Juiz de Fora,cidade mineira perto do RJ. Informação: (32)3218-1020

TRIO SMETANA– A Orquestra Sinfônica Brasileira recebe no dia 9,às 20h,na Sala Cecília Meireles,o Smetana Trio,conjunto com importante reconhecimento mundial,inclusive com gravações premiadas na Europa.O programa começa com a estréia mundial de Esferas Rítmicas -Versão Orquestral, da compositora Jocy de Oliveira,seguido do Smetana Trio como solista doConcerto Tríplice para violino,violoncelo e piano em Dó maior Op.56 de L.V.Beethoven e termina com a Suite Pulcinella de Igor Stravinsky,todas as obras com regência de Lee Mills,atual assistente da OSB.Na terça-feira,dia 13,às 21hs,o Smetana Trio se apresenta com Marcio Costa,clarinetista da OSB no Teatro de Câmara da Cidade das Artes,na Série Música de Câmara. No programa L.V.Beethoven, Bohuslav Martin? e Bedrich Smetana. Ingressos e informações- Sala Cecília Meireles - 2332-9223 e Cidade das Artes - 3325-0102

MÚSICA NO MUSEU – A série de concertos diários apresenta hoje,às 15h,no Centro Cultural Justiça Federal,o conjunto Canto do Rio com  regência Marcelo Saldanha e programa de Clássicos Brasileiros.  Dia 10,às 13h30,no Parque das Ruínas, concerto do Coral Amantes da Música cantando somente Clássicos Brasileiros. 

Dia 11,às 11h30,no Museu de Arte Moderna,MAM,recital do pianista  Sica Malaguti, com programa de música brasileira. 

Dia 13,às 15h,na Biblioteca Parque,na esquina Campo de Santana,recital do pianista Marcos Leite também executando música brasileira.

Dia 14,às 12h30,no Centro Cultural Banco do BrasilmSala 26, recital da pianista MonicaKudiess, executando obras de Claude Debussy e Frédéric Chopin.

A coluna sempre lembra que todos os concertos da Série Música no Museu são realizados com entrada franca.

Dica da semana