Definitivo

       Crer segundo a maneira cristã significa compreender a existência humana como uma resposta à Palavra, significa realmente aceitar que o sentido já nos foi dado, é um ir ao encontro da própria verdade.

        A verdade não é, por conseguinte, produto da reflexão e sim daquilo que me foi dito. Daí Einstein sustentar que nas leis da natureza efetivamente “se revela uma razão tão superior que toda a razoabilidade do pensamento e do ordenamento humano não passa de um reflexo totalmente insignificante”. Ser humano é ser com os outros, não apenas no presente mas na maneira como está presente em cada ser humano, também o passado e o futuro da humanidade; ele só existe como tal na trama da história com que se vê confrontado na linguagem e na comunicação. O cristianismo vive a partir do indivíduo e para o indivíduo, porque a transfomação da história só pode acontecer por iniciativa do indivíduo.

        Cristão é aquele que sabe antes de tudo que vive em primeiro lugar dos dons que lhe são concedidos, e não aquele que continua fazendo cálculos para saber quanto precisa fazer para que seja o suficiente. Ele precisa aguardar o dom do amor, pois o amor só pode ser recebido como dom.

O mundo e o ser humano que estão inseparavelmente interligados, por mais que se oponham por vezes, são integrados na unidade maior do amor. O mundo não é apenas a arena em que se desenrola a história humana, ele é movimento – só quem começa a ver o todo percebe que existe  rumo.

        Num mundo criado intencionalmente com a liberdade de amar jamais poderá ser pura matemática: o menor que sabe amar é um maior; em sua singularidade, cada indivíduo é irrepetível e, assim, definitivo.

Tarcisio Padilha Junior é engenheiro