Foo Fighters faz melhor show no segundo dia do Rock in Rio

Dave Grohl entrou no palco Mundo do Rock in Rio, na virada de sábado para domingo, à 0h10, como um roqueiro de verdade: batendo que nem louco nas cordas de sua guitarra e dando berros de neandertal meia dúzia de vezes. Começou com "Pretender", um rock'n'roll num estilo bem clássico, pedindo para o público bater palmas, gritando"I like it" (gosto disso) e solando com vontade. 

Macaque in the trees
Foo Fighters (Foto: Divulgação)

Assim, Grohl e seus Foo Fighters ganharam a arena de cara Engataram com "Learn to Fly", sucesso que está completando 20 anos de idade. 

A plateia, um pouco mais velha que na noite anterior, estava extasiada. O som excelente do palco principal do Rock in Rio estava alto em diversos pontos do Parque Olímpico, devido às caixas espalhadas pelo local. 

As performances de "Sky Is a Neighborhood" e "Sunday Rain", essa última cantada pelo baterista Taylor Hawkins, foram devastadoras. 

E isso foi antes de "My Hero", com a qual Grohl fez milhares de pessoas cantarem junto com ele. 

Estendendo as canções para seis, sete ou até dez minutos cada, dando espaço inclusive para um longo solo de bateria, o Foo Fighters apresentou um show pesado, visceral e brilhante. 

E com muitas guitarras: são três no palco ao mesmo tempo, uma delas nas mãos de Grohl, além de um baixista e um tecladista. 

Parte do público começou a se mandar após a primeira hora da apresentação, tentando sofrer menos na sempre problemática volta para casa. 

Perderam um momento único. O baterista puxou "Love of My Life", do Queen, e a plateia respondeu cantando junto, como aconteceu há 34 anos com Freddie Mercury, no momento mais icônico do primeiro Rock in Rio. 

Hawkins veio à frente, Grohl foi para a bateria e engataram com "Under Pressure", oras, do mesmo Queen e de David Bowie, sucesso mundial de 1982. 

Falante como nunca, Grohl tocou "Big Me" enquanto contava que esteve pela primeira vez no Brasil para o Hollywood Rock de 1993. "Eu tinha 23 anos e foi a primeira vez toquei para mais de 100 mil pessoas."

O tempo de uma hora e 45 minutos programados para o show passaram, mas Grohl não deu bola. Chamou um casal de fãs ao palco, que se beijaram e foram abraçados pelo artista.

Iniciou "Blackbird", dos Beatles, mas errou e se desculpou por ser muito difícil. Engatou mais dois sucessos, "Best of You" e "Everlong" e encerrou às 2h15. 

Grohl fez de longe a melhor apresentação do festival até agora. O Rock in Rio 2019 já tem algo do se orgulhar. (Ivan Finotti/FolhaPress SNG)