Em vídeo, 'Dr. Bumbum' diz considerar morte de paciente uma 'fatalidade'

Preso na tarde desta quinta-feira (19), Denis César Barros Furtado, o 'Dr. Bumbum', postou um vídeo se defendendo da acusação da morte de Lilian Calixto, ocorrida no último domingo. A bancária, de Cuiabá (MT), foi submetida a um procedimento estético irregular, realizado na cobertura do médico, na Barra da Tijuca.

"Como todo mundo sabe, aconteceu uma fatalidade. Mas [é] uma fatalidade que acontece com qualquer médico", disse Furtado. 'Dr. Bumbum' tentou também explicar, ainda que de maneira bem confusa, o ocorrido.

"Uma paciente minha, no consultório, após um procedimento de bioplastia de glúteo, que eu já realizei nove mil... Ela saiu do consultório muito bem e umas seis horas após eu a levei para o hospital. Ela chegou ao óbito seis horas após, com parada cardíaca", comentou o médico.

'Dr. Bumbum' fez questão de ressaltar que 'é uma injustiça o que estão falando' dele. "Eu tenho CRM ativo", enfatizou. O Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal cassou a licença do médico nesta quinta-feira (19).

>> CRM do Distrito Federal cassa registro de médico que operou em casa

Quem é o "Dr. Bumbum"

Antes do crime de que é acusado - homicídio com dolo eventual, por ter provocado a morte da vítima ao injetar polimetilmetacrilato, conhecido como PMMA, nos glúteos da paciente - Furtado demonstrava desembaraço na propaganda de seu trabalho. De jaleco, dirigia-se em vídeos a 655 mil seguidores no Instagram e 45 mil no Facebook. Falava de doenças, citava Sigmund Freud e Charles Chaplin e criticava os conselhos de medicina. Acusava as entidades de cerceamento de certos procedimentos que realizava.

"Médicos como eu, que buscam inovar, são tão perseguidos que pensam em desistir e deixar pra lá (as práticas de) estudar e se atualizar, e se render ao sistema (sic)", escreveu, em janeiro. "Na minha opinião, (o sistema) lucra mais com doença que com saúde, perseguindo e vetando qualquer novidade que ameace a indústria e as mentiras já impostas como fatos."