Rio+Seguro contabiliza 39 prisões em Copacabana e Leme em 25 dias

O Rio+Seguro, programa pioneiro coordenado pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), bateu a marca de 39 prisões e 13 apreensões de menores infratores em 25 dias de atuação em Copacabana e Leme. Nesse período, os guardas municipais e policiais militares que integram o programa realizaram mais de 700 abordagens a suspeitos. A maioria das prisões é de foragidos da justiça e flagrantes por furtos. Desde o dia 3 de dezembro, a Guarda Municipal realizou ainda mais de 300 ocorrências, a maioria referente à fiscalização de posturas, incluindo ações que resultaram na retirada de 106 animais das areias das praias e apreensão de 1.500 mercadorias comercializadas irregularmente.

Unindo planejamento, inteligência, tecnologia e integração, o projeto-piloto conta ainda com a participação de outros órgãos municipais para tornar o ambiente menos propício à criminalidade. Para coibir o comércio ilegal, a Coordenadoria de Gestão dos Espaços Urbanos (Cgeu), um dos órgãos que integram o programa, abordou 1108 vendedores ambulantes, dos quais 423 não possuíam autorização. Entre os legalizados, 83 foram multados e 44 notificados. O órgão apreendeu 896 produtos diversos e 90 kg de perecíveis.

As equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) abordaram mais de 700 pessoas em situação de rua. Dentre elas, 120 adultos aceitaram o acolhimento e 18 crianças e adolescentes foram encaminhados ao Conselho Tutelar.

Como forma de coibir práticas irregulares no setor de comércio e serviços, a Prefeitura do Rio fiscalizou 1108 estabelecimentos. Somente a Subsecretaria de Vigilância Sanitária realizou 884 inspeções em bares, restaurantes, supermercados, clínicas médicas, salões de beleza, óticas e hotéis. Foram aplicadas 187 multas, inutilizados 197 quilos de alimentos impróprios para consumo e interditados 11 estabelecimentos.

Já a Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização (CLF) vistoriou ao todo 224 estabelecimentos, aplicando 107 advertências e 59 multas, a maioria delas por mesas e cadeiras nas calçadas.

O programa - O Rio+Seguro foi elaborado com base nos principais problemas detectados pelos setores de inteligência da Seop e GM-Rio, além de reclamações de moradores nas redes sociais e via ligações telefônicas ao 1746 (56% referentes à população em situação de rua e 32% sobre ambulantes ilegais). As equipes de campo têm suporte de dois micro-ônibus como base operacional, dez carros e 33 motocicletas. Informações e imagens captadas por 54 câmeras posicionadas em pontos estratégicos e monitoradas em tempo real pelo Núcleo de Videopatrulhamento da GM-Rio, no Centro de Operações Rio (COR), são enviadas aos smartphones das equipes nas ruas dos dois bairros pilotos.