Abaixo-assinado pede saída de Torquato Jardim do Ministério da Justiça

Documento é uma iniciativa do Viva Rio e da Associação de Oficiais Militares do Rio

Será entregue nesta quarta-feira (8), ao presidente Michel Temer, um abaixo-assinado capitaneado pelo Viva Rio e a Associação de Oficiais Militares Estaduais do Rio de Janeiro (AME-RJ) pedindo a saída de Torquato Jardim do Ministério da Justiça. Torquato causou polêmica no fim do mês passado, ao afirmar que comandantes de batalhão eram "sócios do crime organizado no Rio." Ele ainda afirmou que o governador Luiz Fernando Pezão e o secretário de Segurança, Roberto Sá, não tinham "comando".

Na ocasião, o Jornal do Brasil se posicionou sobre a polêmica. 

>> Ministro da Justiça inverte a própria lei

O abaixo-assinado conta com 400 assinaturas, sendo 140 de oficiais superiores (coronéis, tenentes-coronéis e majores) de polícias militares de todo o Brasil. A lista completa das pessoas que assinaram pode ser encontrada aqui: https://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR102866

Em sua página no Facebook, o Viva Rio destaca que “o ministro da Justiça Torquato Jardim procurou a imprensa para fazer acusações irresponsáveis contra o Coronel Luiz Gustavo Teixeira, assassinado por criminosos no Méier, assim como contra todos os outros comandantes de batalhão do Rio de Janeiro.”

A postagem lembra que o Rio de Janeiro é o estado do Brasil onde mais morrem policiais militares e que “as declarações do ministro são incompatíveis com o cargo que ocupa, não refletem a realidade e não contribuem para resolver os problemas dos policiais que enfrentam a violência do crime organizado em condições precárias.”

O Viva Rio se diz ainda “a favor de uma ampla reforma das forças de segurança do Rio, o que inclui a Polícia Militar”, mas “uma reforma com planejamento, responsabilidade e liderança, características muito diferentes das que o ministro mostrou em suas entrevistas.” 

Segue o texto do abaixo-assinado: 

Em respeito ao Governo do Estado do Rio de Janeiro e às nossas instituições de segurança, em memória dos policiais vitimados pela violência assassina, por consideração e carinho às suas famílias, tendo em conta as tarefas extremamente complexas que se apresentam para os homens e mulheres que compõem nossas forças policiais e tendo em vista o decoro que se espera de um Ministro de Estado, o Viva Rio e a Associação de Militares Estaduais do Estado do Rio de Janeiro (AME-RJ) lançam este abaixo-assinado pela demissão do Ministro da Justiça e Segurança Torquato Lorena Jardim.

"Comandantes de batalhão são sócios do crime organizado no Rio", diz ministro

Torquato Jardim fez críticas contundentes ao governador Luiz Fernando Pezão e à segurança pública do Estado do Rio de Janeiro, em entrevista ao Blog de Josias de Souza, no portal UOL, no dia 31 de outubro. Segundo Jardim, Pezão e o secretário de Segurança, Roberto Sá, não têm nenhum controle sobre a Polícia Militar.

"Nós já tivemos conversas — ora eu sozinho, ora com o Raul Jungmann (ministro da Defesa) e o Sérgio Etchegoyen (chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência) —, conversas duríssimas com o secretário de Segurança do Estado e com o governador. Não tem comando", afirmou Jardim, acrescentando que o comando da PM fluminense decorre de "acerto com deputado estadual e o crime organizado". 

Na ocasião, Pezão, o secretário de Segurança, Roberto Sá, e a Polícia Militar reagiram, rechaçando as acusações. Pezão inclusive decidiu entrar na Justiça contra o ministro.

>> Acusações de ministro causam "indignação", diz secretário. PM cita "irresponsabilidade inadmissível"

>> Pezão vai à Justiça contra ministro da Justiça