Crivella consegue liberação de recursos para investimentos em infraestrutura

O prefeito Marcello Crivella e o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, assinaram na tarde dessa quinta-feira (26) a liberação de empréstimo de R$ 650 milhões. Os recursos serão usados para investimentos na área de infraestrutura. O Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que é transferência constitucional da União para as cidades de acordo com o número de habitantes, foi dado como garantia da operação.  

A solenidade de assinatura do empréstimo reservou ainda uma outra boa notícia para o prefeito do Rio de Janeiro. O presidente Michel Temer sancionou o PLS n° 230/14, que torna crime hediondo posse ou porte ilegal, o comércio e o tráfico internacional  de arma de fogo de uso restrito. O Projeto de Lei, de autoria de Marcelo Crivella, foi apresentado e aprovado em 2014, quando exercia o segundo mandato como senador.  Quando um crime é incluído nesta lista dos hediondos não é permitido o pagamento de fiança para a libertação do criminoso e a política de remissão de pena é mais rigorosa.

“Isto aflige o povo do Rio de Janeiro. Vamos entrar cada vez mais em um combate feroz e necessário, na proporção de que toda ação deve corresponder a uma reação igual contrária. Não é possível tratar bandidos com rosas nas mãos", disse o presidente Temer no evento.

Sobre a liberação de recurso, o presidente da Caixa deixou claro que a capacidade do Rio de Janeiro em tomar empréstimo foi fundamental para a realização da operação.

“Esta operação foi possível por conta do esforço e da condição da prefeitura de tomar crédito num momento tão difícil este”, disse Occhi.

Crivella comemorou a liberação dos recursos e destacou a política de austeridade adotada desde o início do ano, como o corte de 25% nos contratos com todos os fornecedores da administração. 

“Celebramos e festejamos, em nome do povo carioca, esse empréstimo que a Caixa Econômica Federal dá ao Rio de Janeiro, reconhecendo os esforços que fizemos. Cortamos mais de mil cargos comissionados, reduzimos 20 secretarias e renegociamos contratos. Fizemos todos os esforços administrativos e de gestão para que continuássemos tendo aquele rating de avaliação. Temos hoje apenas 50% de endividamento da nossa receita corrente líquida”, explicou o prefeito.

Na solenidade de assinatura do contrato, o presidente da Caixa Econômica Federal e o prefeito do Rio também anunciaram uma nova liberação de recursos para a cidade. Nos próximos dias será firmado um outro empréstimo no valor de R$ 200 milhões. O dinheiro vai ser destinado para investimentos na região portuária do Rio.

“O Porto do Rio é um investimento dos trabalhadores do povo brasileiro. Através do fundo de garantia, eles colocaram ali milhões de reais porque viram que há uma vocação extraordinária para a indústria do turismo. Há muitos investimentos que querem receber grandes empresas ali", disse Crivella.

Marcelo Crivella aproveitou para reivindicar ao presidente Michel Temer a municipalização da área do porto que ainda está sob administração federal.

“Aqueles galpões do cais da Gamboa, que estão subutilizados, devem ser removidos. Aquele  cais deve se transformar em uma praça, um jardim, uma espécie de Aterro do Flamengo para que os terrenos da Caixa Econômica ganhem um novo valor para atrair mais investimentos, gerando empregos e riqueza e movimentando a economia”, projetou o prefeito.