PF prende ex-secretário de Cabral, Sérgio Côrtes

Polícia desarticula grupo envolvido em fraudes em licitações do Into

Agentes da Polícia Federal prenderam na manhã desta terça-feira (11) o ex-secretário de Saúde do governo de Sérgio Cabral, Sérgio Côrtes, e os empresários Miguel Iskin e Gustavo Estellita. As prisões fazem parte de uma nova fase da Lava Jato no Rio, batizada de Operação Fatura Exposta, cujo objetivo é desarticular um grupo criminoso responsável por fraudes em procedimentos licitatórios do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e da Secretaria Estadual de Saúde. 

A Operação é realizada em conjunto com o Ministério Público Federal e a Receita Federal.

Sérgio Côrtes chegou à Superintendência da Polícia Federal antes das 10h,de boné preto e com uma pequena bagagem vermelha. Gustavo Estellita também também já está com a polícia. O delegado da PF Frederico Skora informou na coletiva de imprensa que ainda não tinha informações sobre o número de mandados cumpridos, e que isto seria informado até o final deste terça-feira. 

Cem policiais federais cumprem os três mandados de prisão preventiva, 20 mandados de busca e apreensão e três mandados de condução coercitiva, na capital fluminense e nos municípios de Mangaratiba e Rio Bonito. As ordens judiciais foram expedidas pela 7ª Vara Federal Criminal/RJ.

As investigações, iniciadas há cerca de seis meses, indicam a participação no esquema do ex-secretário de governo do Rio de Janeiro e ex-diretor administrativo do INTO, e também de empresários do setor. De acordo com a PF, os servidores públicos envolvidos direcionavam licitações para beneficiar empresários investigados em troca do pagamento de propina no valor de 10% dos contratos. Os presos serão indiciados por corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

O Jornal do Brasil vinha alertando sobre as irregularidades relacionadas à investigação.

>> Médico em Bangu II

>> Médico em Bangu