Justiça concede prisão domiciliar a ex-assessor de Sérgio Cabral

O juiz Marcelo Brêtas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, determinou nesta terça-feira (10) que a prisão preventiva de Paulo Fernando Magalhães Pinto, o ex-assessor do ex-governador Sérgio Cabral preso na Operação Calicute, seja convertida em prisão domiciliar.

No despacho, o juiz justificou sua decisão baseado em reportagem da revista Veja que antecipou suposta negociação de delação premiada com o Ministério Público Federal. Ainda de acordo com a publicação, Paulo Fernando Magalhães Pinto passou a receber ameaças por isso. É nisto que se baseia a conversão da prisão do ex-assessor de Cabral.

"O Ministério Público Federal, em sua manifestação, embora não confirme nem negue a existência de acordo de colaboração premiada com o requerente, reconhece que a notícia veiculada pode colocar em risco a sua integridade física. Pelo que, requer a manutenção da sua prisão, no entanto, requer a transferência do custodiado para local diverso", escreve Marcelo Brêtas no despacho.

De acordo com reportagem da Veja, os investigadores da Calicute, braço da Lava Jato, suspeitam que o iate de Paulo Fernando avaliado em R$ 5,3 milhões e que fica ancorado no Condomínio Portobello, onde Cabral tem uma mansão, perntença, na verdade, ao ex-governador.

O laranja de Cabral que poderá se converter a delator é dono, ainda, de um apartamento na Rua Redentor, em Ipanema, um dos endereços mais nobres, onde o ex-secretário de Segurança Pública do governo José Mariano Beltrame morou durante muitos anos, até se mudar para um imóvel comprado em um condomínio na Barra da Tijuca. 

Questões não respondidas pela Justiça:

Quem são os mandantes das ameaças dirigidas a Magalhães Pinto após suposta negociação de acordo de delação premiada?

Se ele não teria segurança num presídio ocupado por agentes de segurança, na interpretação do juiz que converteu a prisão em prisão domiciliar, em casa o ex-assessor de Cabral terá proteção policial ainda mais robusta que a de um complexo penitenciário?

>> Em Bangu, Cabral briga com ex-secretário de Obras por delação