Citado em esquema de Cabral, hotel Portobello deve R$ 1,4 milhão a Mangaratiba

Prefeitura afirma que não pode dar detalhes sobre débito de resort da Costa Verde

Apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como integrante do esquema criminoso do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, o hotel Portobello Resort & Safari acumula uma dívida milionária em impostos com a Prefeitura de Mangaratiba. De acordo com a coluna de Berenice Seara, no jornal Extra, apenas de ISS (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) o débito chega a R$ 1,4 milhão.

A dívida do Portobello com a Prefeitura de Mangaratiba vai completar um ano em janeiro de 2017. Em janeiro passado, o hotel pediu o parcelamento dos valores referentes aos meses de janeiro, fevereiro e março de 2016. No entanto, o Portobello não quitou nenhuma parcela com a prefeitura.

Nesta sexta-feira (9), o Jornal do Brasil entrou em contato com a Prefeitura de Mangaratiba. A assessoria informou que a prefeitura "não pode se pronunciar a respeito de dívidas de empresas nem de pessoas, já que revelar sigilo fiscal é ir contra a lei". A Prefeitura afirmou, ainda, que cobra todas as empresas que estão em débito, mas que não poderia confirmar a dívida do Portobello. O JB também contactou a assessoria de imprensa do hotel, mas até a publicação desta nota não havia recebido nenhuma resposta.

Nesta quarta-feira (7), os procuradores que comandam a Operação Calicute, braço da Operação Lava Jato no Rio, afirmaram que o esquema criminoso que tinha Cabral como mentor era "altamente sofisticado" e que o resort Hotel Portobello celebrou contratos fictícios com o escritório de advocacia de Adriana Ancelmo, mulher do ex-governador,  e com as empresas de Carlos Miranda e Carlos Bezerra, com lavagem de dinheiro a partir da mistura de ativos lícitos com ilícitos.

>> Citado em esquema de Cabral, hotel Portobello deve R$ 1,4 milhão a Mangaratiba