MPF exige retirada de cartaz 'Fora, Temer' no Colégio Pedro II

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou por meio de medida extrajudicial que cartazes com a inscrição "Fora, Temer" sejam retirados de maneira imediata de duas unidades do Colégio Pedro II. O procurador Fábio Moraes de Aragão alega no documento que "a doutrinação política e ideológica de alunos atenta contra a integridade intelectual de crianças e adolescentes". Se a medida não for cumprida, os diretores terão que responder por improbidade administrativa e crime de prevaricação.

"Foi também pedido nessa recomendação para impedir a colocação de cartazes ou panfletos futuros para que não haja patrocínio de partido A, B ou C. Porque hoje é 'Fora, Temer', amanhã pode ser Marcelo Crivella, Freixo ou Bolsonaro, dependendo da cena política. Podem achar tem a ver só com (Michel) Temer, mas é com qualquer candidato", argumentou Fábio Aragão.

>> Adultos organizam ato contra saias de alunos do Pedro II

A medida foi noticiada nesta terça-feira (4) pelo colunista Ancelmo Gois. O reitor do Pedro II, Oscar Halac, esteve no MPF e disse que as faixas foram colocadas pelo sindicato dos servidores sem a aprovação dele, já retiradas, destacando ainda que "o Colégio é laico em todos os aspectos, inclusive na questão do partidarismo político", de acordo com O Globo.

O MPF diz que recebeu representações de pais de alunos de diversas unidades do colégio. "Isso é uma desvirtuação da escola. Os professores têm liberdade de expressão, mas podem se expressar fora do colégio", disse Aragão, sobre reclamações de responsáveis pelos alunos de que professores estariam panfletando para candidatos no horário escolar.