Morre no Rio o jurista e acadêmico Evaristo de Moraes Filho

Morreu nesta sexta-feira (22), no Rio de Janeiro, o acadêmico, jurista e professor Evaristo de Moraes Filho, de 102 anos, considerado um dos grandes advogados do país. Ele morreu às 18h30, em casa, em Copacabana, Zona Sul da cidade, de infarto agudo do miocárdio. O corpo é velado na sede da Academia Brasileira de Letras (ABL), no Centro do Rio de Janeiro.

O corpo fica na Academia até as 15h deste sábado (23), quando será levado para o Mausoléu dos Imortais, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, onde será enterrado. Evaristo tinha dois filhos, seis netos e dois bisnetos.

Biografia

Quinto ocupante da Cadeira 40 da Academia Brasileira de Letras, Evaristo de Moraes Filho foi eleito em 15 de março de 1984, na sucessão de Alceu de Amoroso Lima.

Evaristo nasceu na cidade do Rio de Janeiro, então a capital da República, no dia 5 de julho de 1914, e viveu infância na Rua dos Coqueiros, bairro de Catumbi, zona norte da cidade. Ingressou em 1933 na Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, que mais tarde se tornaria Universidade do Brasil e hoje é a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde se bacharelou.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais