Uerj terá campus em Petrópolis, começando com graduação em arquitetura

A Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) terá novo campus, em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro. A unidade funcionará na Casa Barão do Rio Branco, um dos mais importantes casarios históricos da Cidade Imperial. O primeiro curso a funcionar será o de arquitetura, já com 50 vagas no próximo ano.

Iniciativa inédita no país, a qualificação terá grade curricular com ênfase na região serrana e suas particularidades geográficas, topográficas e de meio ambiente. O curso será seriado, com períodos ininterruptos de março a dezembro, e as disciplinas norteadas por três grandes eixos: habitação, patrimônio e geologia.

De acordo com a coordenadora do curso, Ana Cristina Cordeiro, o fato de a Uerj ainda não ter um curso de arquitetura conjugado à importância histórica do local justificou a escolha da universidade pelo novo campus. Segundo ela, “o primeiro projeto de urbanismo do Brasil foi feito em Petrópolis. Lá [na Casa Barão do Rio Branco] foi assinado o Tratado de Petrópolis [em 1903], que agregou o Acre ao Brasil”.

O espaço da Casa Barão do Rio Branco é um conjunto de quatro casas, com terreno de 52 mil metros quadrados. Segundo a coordenadora, no momento não há espaço físico para a implantação de outros cursos, apenas a possibilidade de expansão da unidade de arquitetura e urbanismo. “A expansão do curso acontecerá, e ainda pretendemos, no futuro, oferecer mestrado e doutorado no campus”, adiantou.

A reitoria forneceu 15 vagas para a formação do corpo docente do curso. O concurso já foi feito e as vagas estão em processo de homologação.

Os estudantes interessados devem se inscrever entre os dias 6 de julho e 4 de agosto para o vestibular da universidade. As inscrições são para o segundo exame da primeira fase, com prova marcada para 13 de setembro.Os alunos aprovados na primeira fase ainda devem realizar prova discursiva, marcada para 29 de novembro.

A diretora do Departamento de Seleção Acadêmica, Elisabete Matar, disse que “a expectativa é de que o vestibular seja concorrido, em virtude do diferencial que a nova formação vai oferecer em seu formato e grade curricular”.

A estudante Giulia Maduro, de 18 anos, moradora de Petrópolis, disse estar animada com a possibilidade de poder cursar arquitetura e urbanismo perto de casa. “Acho que vai ser muito bom, também vou ter a ajuda dos meus pais. Já conheço o local, e isso facilita minha decisão”, salientou.