Novo presidente da ACRJ toma posse com metas ambiciosas para o estado 

O novo presidente da mais antiga entidade de representação civil do país, a Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), toma posse no dia 29 de junho com as metas de ajudar a transformar o estado em líder logístico do Hemisfério Sul, trazer para a capital carioca o maior evento de câmaras de comércio do mundo e articular o movimento “Pacto do Rio”, para promover o desenvolvimento sustentável através da construção de uma cidade mais conectada, participativa e segura. 

O empresário Paulo Manoel Lenz Cesar Protasio, atual presidente da Associação Brasileira das Empresas de Comércio Exterior e diretor da Sociedade Nacional de Agricultura, foi eleito para o mandato 2015/2017 no último dia 19 de maio. A cerimônia de posse será nesta segunda-feira (29/6), a partir das 11 horas, durante o seminário “Rio: Zona Internacional de Serviços para o desenvolvimento do Brasil”, seguido de almoço festivo com as presenças do vice-governador do Rio, Francisco Dornelles; do prefeito Eduardo Paes; do secretário executivo de Coordenação de Governo da Prefeitura do Rio; Pedro Paulo Carvalho Teixeira; do secretário especial de Ciência e Tecnologia do município do Rio de Janeiro, Franklin Dias Coelho; da presidente do Instituto Pereira Passos (IPP), Eduarda La Rocque, e outros convidados.

Zona Internacional de Serviços

A Associação Comercial do Rio percebeu o potencial da cidade para ser uma interface do Brasil com o mundo. A partir da identificação dessa Zona Internacional de Serviços e Logística (Zis), a Casa do Empresário chama para si a responsabilidade de articular os diversos agentes da sociedade para discutir, debater, planejar e propor soluções para melhorar a economia do país. A Zis irá funcionar como âncora à atração de investimentos e instalação de empresas inovadoras em setores estratégicos de desenvolvimento, gerando renda, empregos, conhecimento científico e tecnológico.

Paulo Protasio articulou a assinatura de um Acordo de Cooperação entre a ACRJ e a Secretaria Estadual de Transportes do Rio que cria um fórum de estudos para privilegiar o planejamento da logística de cargas no estado. O primeiro passo do protocolo, firmado no começo desse mês pelo atual presidente da Associação Comercial, Antenor Barros Leal, e pelo secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, é justamente estabelecer a consolidação de uma Zona Internacional de Serviços Logísticos.

“A ACRJ é o lócus onde essa ideia tem sua armação. É uma agregadora, uma promotora de eventos, discussões, pesquisas, estudos e debates sobre os diversos temas da Zis que resultem em projetos, documentos e negócios em diversos setores da economia. Desde o turismo até a tecnologia da informação”, afirmou Protasio.

O secretário de Transportes comemorou a assinatura do acordo e destacou a importância da parceria com a inciativa privada. Para Carlos Roberto Osório, o Rio tem potencial para ser líder na logística do sudeste brasileiro e, consequentemente, do Brasil.

“Para isso, é preciso o trabalho da iniciativa privada junto ao poder público. Através desse protocolo, teremos a força da Associação, sua capacidade de planejamento, associada ao estado do Rio para que possamos implementar esse plano de maneira completa”, disse Osório.

O presidente eleito da ACRJ ressaltou que a Zona Internacional de Serviços terá quatro núcleos de ações responsáveis por desenvolver projetos de integração logística dos cerca de 250 municípios da megalópole brasileira, área formada entre as duas maiores cidades do país, Rio e São Paulo, além de estudos sustentáveis e planos para um bom intercambio de mercadorias e serviços.

“Faremos, junto ao governo do estado, essa área de superpor uma visão mais clara e objetiva do que será essa relação de transferência de mercadorias e serviços entre toda essa região. Não só com os portos que aqui são disponibilizados, e já chegam a cinco, como a parte de integração dos modais. Tanto ferroviário, como rodoviário e duto viário”.

Congresso de Câmaras de Comércio

O presidente eleito da ACRJ lidera um movimento para que o Rio seja sede do 11º World Chambers Congress (WCC), em 2019, evento promovido pela International Chamber of Commerce (ICC). Essa pode ser a primeira vez que a América do Sul receberá o maior evento de câmaras de comércio do mundo. O Congresso vai reunir cerca de três mil lideranças empresariais e políticas de mais de 100 países para debates e oportunidades de negócios. O Rio disputa com Montreal, no Canadá, Buenos Aires, na Argentina, Orlando, nos Estados Unidos e Bogotá, na Colômbia. O anúncio da cidade sede será divulgado em 2016.

Uma comitiva de empresários, autoridades públicas e integrantes de Associações Comerciais estaduais brasileiras, integrada por Paulo Protasio, foi à nona edição do evento, em Torino, na Itália, entre 10 e 12 de junho, para lançar a candidatura da capital fluminense. O próximo passo é apresentar aos organizadores do 11º WCC um plano de desenvolvimento metropolitano voltado para o evento. De acordo com Protasio, nas próximas semanas, ele irá procurar a Prefeitura do Rio e Ministério das Cidades para buscar apoio à candidatura.

“Esse será mais um feito histórico de nossa cidade. O Rio tem um know how em realização de grandes eventos e uma infraestrutura eficiente para realizá-los. O Rio tem vocação para os negócios”, assegurou. 

No último dia 24 de fevereiro, Protasio se reuniu, na ACRJ, com o presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), José Paulo Dornelles Cairoli, e com o presidente da World Chambers Federation (WCF), Peter Mihok, para discutir estratégias que fortaleçam a imagem do Rio e aumentem as chances de sediar o evento.

“O Rio tem uma posição a nível mundial de êxito com relação aos Jogos de 2016. Essa marca é clara, precisa e deve ser mantida depois das Olimpíadas e Paralimpiadas do ano que vem. Não vamos errar nessa proposta de incentivo ao ambiente de negócios”, garantiu.

Pacto do Rio

O tripé formado pelas inclusões social, ambiental e econômica é capaz de tornar possível o desenvolvimento sustentável do município. Esse é o chamado “Pacto do Rio: por uma cidade integrada”, um conjunto de compromissos articulados entre setores público e privado, a academia e sociedade civil, com base em informação qualificada e compartilhada, para promover e monitorar o desenvolvimento sustentável da cidade.  A iniciativa do Instituto Pereira Passos (IPP), em parceria com a Associação Comercial do Rio de Janeiro, pretende gerar uma grande rede (compartilhada, autorregulada, autofinanciada e apartidária), capaz de unir esforços entre os segmentos e diversos atores em prol da melhoria da qualidade de vida da população, através de maior integração da cidade.

“O Pacto do Rio é um agrupamento de pessoas e instituições apaixonadas pela cidade e preocupadas em mudar o caótico quadro social que vivemos hoje”, avaliou.