Universidade Federal Fluminense entra em greve a partir desta quinta

Os professores, técnicos e alunos da Universidade Federal Fluminense (UFF) decidiram entrar em greve a partir deste quinta-feira (28). A paralisação da universidade foi definida no último dia 27 com uma assembleia geral entre os docentes e alunos. Entre as reivindicações dos professores estão melhores condições de trabalho, melhoria nos benefícios, entro outros. 

A central de estudantes da universidade participou também de um piquete realizado na reitoria da UFF, no bairro de Icaraí, Niterói, região metropolitana do Rio. O movimento estudantil divulgou nas redes sociais uma carta aberta com cinco reivindicações: a suspensão do calendário acadêmico, uma reunião entre a reitoria e os trabalhadores terceirizados para a normalização dos salários, além da abertura do restaurante universitário do campus da Praia Vermelha, o pagamento das bolsas de monitoria atrasadas e por fim uma reunião de negociação da reitoria com os três setores em greve.

Há dois dias a universidade anunciou através de nota oficial o fechamento das atividades com abertura para o público dentro do prédio da reitoria. "A medida visa resguardar a realização de atividades essenciais que atendem à comunidade universitária, tais como o fechamento da folha de pagamento, o pagamento de bolsas aos alunos, bem como atendimento de serviços de saúde essenciais, além da preservação do patrimônio público da universidade", informaram. 

Outras universidades do Rio

A Unirio e a UFRJ decidiram que ainda não irão entrar em greve. Já a Universidade Estadual do Rio de Janeiro,informou que tem uma paralisação marcada para a próxima sexta-feita (29). A Unirio informou que está em estado de greve, ou seja, as atividades continuam normalmente, no entanto, a qualquer momento uma greve pode ser deflagrada caso os professores achem necessário.