Protesto contra a violência urbana leva ciclistas às ruas na Lagoa

Cerca de 500 pessoas participaram de uma manifestação que pediu paz e homenageou o médico Jaime Gold, que morreu após ser esfaqueado por assaltantes na última terça-feira (19). O ato, organizado por ciclistas, ocorreu na manhã deste domingo (24) no mesmo local da morte do médico, na Lagoa Rodrigo de Freitas.

Com cartazes e faixas criticando o alto índice de violência e usando roupas pretas, os manifestantes chegaram a parar o trânsito na Rua Epitácio Pessoa, sentido do Corte do Cantagalo. Entre os presentes havia também integrantes de outros movimentos que atuam contra a violência urbana.

Alguns manifestantes levavam rodas de bicicleta com panos brancos amarrados, lembrando a morte de Gold. Segundo as investigações, ele foi abordado por dois menores, que o esfaquearam e roubaram sua bicicleta. Um dos suspeitos foi preso, mas não confessou o crime.

Os manifestantes fizeram uma parada para discursos e cantaram o Hino Nacional no local onde o médico foi esfaqueado pelos ladrões. No lugar foram afixados diversos cartazes lembrando a morte do médico e contestando a violência no Rio. O chão foi tingido de vermelho e uma bicicleta pintada de preto foi presa à grade.

Na manhã de ontem também houve passeata que reuniu cerca de 150 pessoas e percorreu o caminho entre o Corte do Cantagalo e a Prefeitura, passando pelo Palácio Guanabara. O ato também foi organizado com o objetivo de pedir mais paz e lembrar as vítimas de violência urbana. 

>> Ciclistas protestam contra morte de médico na Lagoa

O patrulhamento na região da Lagoa tem sido reforçado nos últimos dias com aumento do contingente policial e maior número de viaturas, tanto da Polícia Militar quanto da Guarda Municipal.