Imprensa internacional repercute violência no Rio e acende alerta para Olimpíadas

Às vésperas dos jogos, praticar esportes na cidade tornou-se perigoso

A imprensa internacional repercutiu os recentes casos de violência no Rio de Janeiro, dando destaque à proximidade dos Jogos Olímpicos, que serão realizados ano que vem, além de criticar o fato de os crimes estares presentes a pontos turísticos ou que vão receber competições durante o evento que se inicia em 440 dias.

Os jornais britânicos "The Daily Telegraph" e "Daily Mail" destacaram uma entrevista com Alfredo Lopes, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis. Ele disse que "infelizmente, a violência voltou a fazer parte de nossa rotina diária". O "Telegraph" lembrou ainda os últimos casos de esfaqueamento na cidade, que tiveram como vítimas tanto moradores locais quanto turistas, ressaltando que a violência pode "afastar" os visitantes, faltando pouco mais de um ano para os Jogos Olímpicos no Rio. 

A agência americana de notícias Associated Press (AP) publicou matéria replicada por vários veículos de comunicação, entre eles a Fox News, dizendo que a polícia carioca reforçou o patrulhamento em áreas que atraem muitos turistas e que vão receber eventos das Olimpíadas. A agência também deu destaque ao esfaqueamento da chilena Isidora Ribas, de 32 anos, nesta sexta-feira (22) na glória, e à morte do médico Jaime Gold, que praticava ciclismo na lagoa Rodrigo de Freitas, na última terça-feira. "Foi o quarto esfaqueamento no local além de pelo menos dez outros ataques durante assaltos no Centro do Rio nas últimas semanas", diz a matéria.

"Andar de bicicleta se tornou um perigo mortal no Rio de Janeiro", é a manchete do El País, jornal de língua espanhola. O veículo destaca ainda que os recentes crimes "deixam cidade em estado de alerta" e que a lagoa Rodrigo de Freitas, "oásis urbano e futuro cenário olímpico, se transformou em um lugar perigoso para fazer esportes".