Pezão diz que vai pedir prorrogação da permanência do Exército na Maré

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, disse hoje (29) que pedirá a prorrogação da permanência do Exército no Complexo da Maré, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. A informação é da assessoria de imprensa do governo do estado. Por enquanto, o governo federal autorizou até dezembro a permanência das tropas militares, que ocupam o conjunto de favelas desde abril deste ano.

Ontem (28), o cabo do Exército Michel Mikami, de 21 anos, foi morto durante confronto com criminosos no Complexo da Maré. Os militares abriram inquérito para apurar a morte de Michel. Baleado na cabeça, ele chegou a ser levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

>> Polícia abre inquérito para apurar morte de cabo do Exército

>> Morre militar do Exército baleado no Complexo da Maré no Rio

>> Dilma lamenta morte de militar do Exército

Por meio de nota, o governo do estado informou que Pezão pretende conversar com a presidenta da República, Dilma Rousseff, para pedir a prorrogação do prazo. A ideia é manter as tropas na comunidade até que novos policiais militares sejam formados e, assim, implantar uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) na região.

Segundo a nota, o governador considera difícil o estado conseguir ocupar a Maré sem ajuda das tropas federais.