RJ: menina morta em rompimento de adutora será enterrada nesta quarta

O corpo de Isabela Severo dos Santos, 3 anos, morta nesta terça-feira após o rompimento de uma autora na estrada do Medanha, em Campo Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro, será sepultado nesta quarta-feira, no cemitério do bairro.

A administração do cemitério Campo Grande informou que o corpo da menina foi velado em uma capela no bairro e o enterro está programado para 10h.

Inundação e morte

Segundo informações dos bombeiros, a menina engoliu muita água e chegou a receber massagem cardíaca no local. Ela foi encaminhada com parada cardiorrespiratória para o Hospital Rocha Faria, no mesmo bairro, mas morreu às 8h25.

Outras 15 pessoas ficaram feridas. Nove foram encaminhadas para o Hospital Rocha Faria e seis atendidas e liberadas no local. Equipes dos quartéis de Campo Grande e do Distrito Industrial foram para a região e auxiliaram a socorrer as famílias que ficaram ilhadas com o alagamento.

De acordo com os bombeiros, o jato d'água chegou a atingir 20 metros de altura. Um balanço da corporação informou que 16 casas foram atingidas e outras 17 desabaram. Além disso, cerca de 72 pessoas ficaram desabrigadas e 70 desalojadas.

A inundação segundo moradores, chegou a dois metros de altura. De acordo com a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), a fissura onde a tubulação rompeu foi de 1,65 centímetros de diâmetro e a vazão de água chegou a seis metros cúbico por segundo.

Segundo o diretor de operações da Cedae, Jorge Driard, o fechamento demorou em torno de uma hora e trinta minutos para concluído porque não pode ser repentino para não ocasionar outros rompimentos na rede. "É para que o estrago não seja maior", destacou. "Imagine que esse tipo de tubulação traga água por atacado, que por sua vez vai levar a água por varejo em nossas casas. Ou seja, é uma tubulação de grande pressão", explicou.