Novos protestos pedirão abertura de CPIs contra Sérgio Cabral

Três manifestações estão marcadas para os próximos dois dias no Rio

Apesar da aparente mudança de atitude do governador do Rio, Sérgio Cabral, a capital continuará convivendo com protestos. Para esta quarta-feira, manifestantes estão convocando pela internet um ato com concentração na Cinelândia, que vai passar pelo Ministério Público e seguir até a Assembleia Legislativa do Estado (Alerj), para pedir que se declare ilegal o decreto do governador que institui a Comissão Especial de Investigação de Atos de Vandalismo. Além de pedir as comissões parlamentares de inquérito (CPI) da Copa, da Delta e dos helicópteros, e que o Ministério Público se posicione mais claramente em relação aos movimentos.

Cerca de 3 mil pessoas já confirmaram presença no protesto marcado para as 16h. Integrantes da página do Facebook, entretanto, fizeram um alerta, dizendo que são contra qualquer tipo de saques a lojas ou bancos.

Na quinta-feira, mais dois protestos estão convocados. No Centro da cidade, na Candelária, manifestantes pretendem sair em direção à Alerj, para pedir a abertura de uma CPI para investigar o governador. 

Já na Rocinha, na Zona Sul, a família do pedreiro Amarildo de Souza, desaparecido depois de ser levado para averiguação por agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) há duas semanas, vão se manifestar contra os "Amarildos do Brasil", em relação a todos os desaparecidos após ações policiais. 


Identificação

A Polícia Civil informou que identificou dois participantes do protesto do último dia 18. Arnaldo José Martins Neto, 24 anos, prestou depoimento e confirmou ter participado dos atos de vandalismo. Ele será indiciado por furto qualificado, dano ao patrimônio e incitação ao crime, depois de ter quebrado uma placa de trânsito e o vidro de uma agência bancária.

Já Willian Josean dos Santos, morador do Vidigal, 18 anos, não foi encontrado. As imagens da polícia mostram ele com uma barra de ferro tentando quebrar vidros e caixas eletrônicos, além de ter sido filmado furtando uma loja de roupas.