Bares e restaurantes de Copacabana faturaram o dobro durante a JMJ

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que reuniu mais de 3 milhões de pessoas em Copacabana, zona sul do Rio, lotou os bares e restaurantes do bairro. O faturamento dobrou e mais de 25 mil pratos foram vendidos a mais por dia. Na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, o faturamento ficou abaixo do esperado.

O superintendente do Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (SindRio), Darcílio Junqueira, disse que os estabelecimentos se prepararam para o evento e, por isso, não faltou alimento.

“O SindRio fez uma vistoria nos bares e restaurantes do Rio e estava todo mundo preparado para receber os peregrinos. O sindicato quer parabenizar os bares e restaurantes por ter atendido ao nosso pedido de aceitar o cartão Menu Peregrino. O único problema foi que o cartão travava, mas todos os casos foram resolvidos e ninguém ficou prejudicado”, disse. Ele também informou que a procura maior foi pelos pratos do cardápio dos estabelecimentos.

Junqueira declarou ainda que os estoques de produtos alimentícios chegaram a zerar, mas foram repostos no dia seguinte. “Estava tudo pré-combinado com o Centro de Abastecimento de Bares e Restaurantes da região e, por isso, não houve dificuldades para o reabastecimento das mercadorias, apesar das ruas no entorno [de Copacabana] estarem fechadas”, ressaltou. “Não estamos sabendo de nenhum caso que estabelecimento fechou por ter acabado o estoque. Pode ter acontecido, mas nós não sabemos”, completou.