CPI dos Ônibus já tem o número de assinaturas necessário para implantação 

Já assinaram a lista 22 vereadores; Base quer derrubar sessão

A CPI dos ônibus, proposta pelo vereador Eliomar Coelho(PSOL) já tem condições de ser implantada. O número de vereadores mínimo para a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito, 17, foi superado nesta terça-feira. Até o horário marcado para o início da sessão parlamentar na Câmara de Vereadores, às 14h, 22 vereadores haviam assinado a lista.  

Os nomes, até esta segunda, eram os de Eliomar Coelho(PSOL); Renato Cinco (PSOL);Paulo Pinheiro (PSOL);Júnior da Lucinha (PSDB);Jefferson Moura (PSOL); Reimont (PT); César Maia (DEM); Tio Carlos (DEM); Rosa Fernandes (PMDB); Leonel Brizola Neto (PDT); Carlos Bolsonaro (PP), Teresa Bergher (PSDB), Carlo Caiado (DEM), Márcio Garcia (PR) e Verônica Costa (PR). 

Nesta terça-feira, outros sete deputados assinaram a lista: Paulo Messina (PV), Marcelo Arar (PT), Rafael Aloisio Freitas (PMDB), Willian Coelho (PMDB), Jorge Manaia (PDT), Dr Gilberto (PTN) e Leila do Flamengo (PMDB). 

Nos corredores da casa, correm informações de que a base do governo, comandada pelo deputado Luiz Antonio Guaraná(PMDB) iria fazer de tudo para derrubar a sessão e impedir a criação da CPI. Mais de cinco mil pessoas confirmaram presenças nas galerias da Câmara Municipal nesta terça.

O vereador Eliomar Coelho, autor da proposta, criticou quem o chama de oportunista pela tentativa de criação da comissão logo após os protestos que começaram em todo o país, contra o aumento das passagens no transporte público:

“Estou na casa há muito tempo, e sempre trabalhamos por maior transparência nos transportes. Antes de qualquer protesto, pedimos ao Tribunal de Contas do Município os contratos entre as empresas de ônibus e a prefeitura”, explicou Eliomar, que classificou como natural a reação de Luiz Antônio Guaraná(PMDB), líder do governo na Câmara. “Ele é líder, é o papel dele. Mas tem que ter o ônus de provar a transparência, não pode ter só o bônus”, finalizou.