Presidente da Alerj garante funcionamento normal da Casa

Paulo Melo classifica de vandalismo o que ocorreu na Casa. Prejuízo deve chegar a R$ 2 milhões

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Paulo Melo, disse nesta terça-feira que a Casa vai funcionar normalmente esta semana, apesar da depredação registrada ontem (17) durante a manifestação no Centro da cidade. Melo afirmou que o verdadeiro protesto, pacífico, ocorreu na Avenida Rio Branco. "O que aconteceu na Alerj...eu me nego a dar a nomenclatura de protesto. Aqui foi vandalismo", ressaltou.

Segundo ele, o prejuízo no prédio da Alerj deve ficar entre R$ 1,5 milhão e R$ 2 milhões. Melo disse que vidros franceses foram quebrados, móveis destruídos e a fachada pichada. "De todos os prejuízos, o inconcebível é a destruição do patrimônio histórico", enfatizou.

O presidente da Alerj afirmou ainda que, dentro do contexto, a polícia agiu no momento apropriado para dispersar os vândalos. Paulo Melo disse que não foi pedido um reforço policial, já que a Assembleia sempre teve uma interação com a sociedade civil, e não tinha nada a ver com o reajuste das passagens de ônibus no município do Rio de Janeiro.

"Temos deputados de diversas correntes presidindo comissões importantes. Concedemos bolsas educação, cassamos quatro deputados e enfrentamos diversos assuntos polêmicos, como as CPIs das Milícias e do Propinoduto.

No entanto, apesar de ter garantido o funcionamento normal da Alerj esta semana, a própria assessoria de Paulo Melo enviou um e-mail às redações comunicando o adiamento da solenidade de homenagem aos ex-jogadores Edu e Zico, prevista para esta terça-feira, devido á depredação das instalações onde ocorreria o evento.