Polícia prende dois acusados pela morte de rapaz na saída da Casa Rosa

Rodrigo Andrade, 23 anos, foi morto a tiros ao sair da Casa Rosa

Policiais da Divisão de Homicídios (DH) prenderam, na noite desta sexta-feira (29/03), em um apartamento no bairro da Urca, Zona Sul do Rio, dois acusados de envolvimento na morte de Rodrigo Henrique Ribeiro Andrade, de 23 anos. Ele foi morto a tiros, na madrugada de sexta, quando deixava a boate Casa Rosa, na Rua Alice, em Laranjeiras.

Caio Luis Barros de Lima e Henrique Brito Vieira ambos de 22 anos foram presos em casa. Outros dois acusados, Gabriel Macedo Pires, 23, que teria feito os disparos, e Pedro Luis França Neto, o japa, 24, estão foragidos.  No imóvel, os agentes apreenderam cerca de R$ 50 mil em dinheiro, uma balança de precisão - muito usada para pesar drogas -, e um cordão de ouro avaliado em R$ 16 mil. Um Ford Fusion, usado para praticar o crime, também foi apreendido pelos agentes. 

O motivo do assassinato teria sido uma briga entre Caio e Rodrigo no interior da boate. Caio alegou a polícia que teria iniciado a briga porque Rodrigo estaria encarando um de seus amigos. Caio então teria dado um soco no rosto da vítima e foi expulso da boate junto com outros dois amigos. Eles teriam ido a Urca onde conseguiram uma pistola 9 milímetros e voltaram à laranjeiras onde dispararam contra o grupo. Ainda assim, Caio alegou que não sabia que o amigo atiraria contra o rapaz. "Não sabia que o Gabriel ia atirar, não sabia o que ele ia fazer", disse.

Dos quatro acusados, três são de classe média alta e moradores da Zona Sul do Rio. Eles responderão por homicídio, formação de quadrilha e três tentativas de homicídio contra os amigos de Rodrigo. Por causa do material encontrado na casa de Henrique, ele também deverá responder por tráfico de drogas.

Testemunhas afirmaram que o rapaz estava saindo da festa, quando foi abordado pelo autor dos disparos. O criminoso disparou de dentro do carro, para em seguida arrancar em alta velocidade. De acordo com policiais militares do 2º Batalhão (Botafogo), Rodrigo tinha cerca de oito ferimentos a tiros, aparentemente de pistola 9mm.