Antes dos ovos de chocolate, cariocas gastam energia no Aterro do Flamengo

Pais, crianças e muitos cachorros aproveitaram a área de lazer neste sábado

Na véspera do domingo de Páscoa, dia em que os excessos ficarão por conta dos ovos de chocolate, nada melhor do que gastar a energia já pensando nas calorias a mais que inevitavelmente estão a caminho.

E com o sol brilhando, a pedida para os cariocas foi aproveitar as áreas de lazer neste sábado, com tudo o que elas podem oferecer. Bicicleta, skate, uma boa partida de futebol ou uma bela corrida pela orla foram algumas das opções preferidas no Aterro do Flamengo.

As crianças fizeram a festa no parque, como não poderia deixar de ser. Davi, de 4 anos, filho de Kátia e Luigi Valva, ambos de 43 anos, brincava com um patinete antes de todos irem almoçar em uma famosa churrascaria ali perto. "Aqui é um lugar muito tranquilo, com espaço e muitas áreas verdes. Ainda há outras crianças. Não tem como não trazer o filho para cá", disse Luigi, que veio com a família de São Paulo para o Rio de Janeiro após ser transferido na empresa de construção civil em que trabalha. "São Paulo está "invivível" ", brincou ele. "O Rio tem alguns problemas, mas tem muito mais opções de lazer para crianças, por exemplo. Estou gostando muito de morar aqui", disse ele.

Raúl Mendez, de 38 anos, passeava com o filho Ignácio, de 3 anos, e a mulher Melinda, de 42. A família circulava pelo Aterro enquanto esperava o horário de chegada do voo da mãe de Raúl. Ele, no entanto, descartou qualquer comemoração envolvendo chocolate para este domingo. "Faremos uma coisa pequena, uma cerimônia religiosa lá em casa. Nada demais", disse o espanhol, católico praticante e que mora em Macaé.

"Cachorródromo" agita Aterro

Este sábado também foi dia de lazer para muitos cães. Das mais diversas raças, eles se encontram semanalmente no chamado "Cachorródromo" do Aterro do Flamengo. Apesar da grande aglomeração de cachorros, Ana Flávia Barbedo, uma das organizadoras dos encontros, disse que hoje o clima estava tranquilo. "O local está vazio porque é feriado. Se tivesse sol e fosse um final de semana comum, isso estaria lotado", disse Ana Flavia, cercada por mais de 20 cães e outros amantes dos animais.

Ela já organizou diversos acolhimentos de animais abandonados no Aterro do Flamengo, e alguns dos que estavam lá correndo foram resgatados. "Essa área é muito boa para que eles possam se encontrar e relaxar", ressaltou Ana Flávia.

Um dogue alemão de 7 anos, chamado Uriel, era destaque entre outros cães menores. Correndo com um coco na boca, ele era o símbolo daquele sábado de lazer.