Petrópolis tem 15 mil em área de risco e prefeito tem projeto para apenas 164

Projeto de Bomtempo vai contemplar só pouco mais de 1% das famílias em áreas irregulares

Depois de confirmar que o município de Petrópolis tem 15 mil famílias vivendo em área de risco - sendo cinco mil em área de alto risco, o prefeito da Cidade Imperial, Rubens Bomtempo (PSB), disse que tem um projeto para, em três anos, retirar 164 famílias destas regiões, evitando desastres como o do início desta semana, que tem, até o momento, 18 mortos.

O baixo número anunciado por Bomtempo chama a atenção porque corresponde a apenas pouco mais de 1% do número de famílias em área de risco.

Durante o temporal, os rios Quitandinha e Piabanha transbordaram, deixando quatro bairros inteiros debaixo d'água: Quitandinha, Alto Independência, Morin e Alto da Serra. Segundo a Defesa Civil do Estado, sirenes de alerta foram acionadas em nove comunidades. A população que vive na localidade conhecida como Espírito Santo, no entanto, diz que a sirena da região não funcionou. Nesta localidade, oito corpos foram retirados. 

>> Ministro da Integração visita áreas afetadas

>> Jardineiro salvou menina antes de ser soterrado em Petrópolis 

>> Petrópolis: criança de 12 anos morreu durante comemoração de seu aniversário

>> Duque de Caxias tem 600 pessoas desalojadas por causa da chuva

>> Ministro: burocracia e falta de terrenos impedem desocupação de áreas de risco

Reconstrução do Centro Histórico

Na manhã desta terça-feira (19), o que se vê nas ruas da cidade pe muita lama e lixo, inclusive nas principais vias, como Rua do Imperador, Rua Teresa e Coronel Veiga. As ações  emergenciais para limpeza e remoção de terras, galhos e entulho de vários bairros prejudicados pelo temporal continuam. O número de ocorrências registradas pela Defesa Civil subiu para 368. 

Os rios Piabanha e Quitandinha também continuam em alerta máximo, sob risco de transbordamento em alguns pontos do Centro Histórico. Já o número de pessoas alojadas nos 18 pontos de apoio soma 560 ou cerca de 140 famílias. O índice pluviométrico do bairro Quitandinha, o mais atingido, chegou a 428 milímetros nas últimas 24 horas, quase que o dobro do esperado para o mês inteiro.

Noventa e uma pessoas, entre voluntários e funcionários da Defesa Civil estão pelas ruas auxiliando nas vistorias das ocorrências. Além disso, cerca de 250 bombeiros do Estado estão na cidade. O prefeito também determinou, desde a madrugada de hoje, a criação de uma força tarefa com a contratação de mais 500 pessoas para uma frente emergencial de trabalho.