RJ: Cabral e Beltrame debatem saldo da ocupação do Caju

O secretário de Segurança Pública do Rio e o governador discutem o saldo da operação

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, e o governador Sérgio Cabral, discutem na manhã deste domingo o saldo da a ocupação do Complexo do Caju e Barreira do Vasco, na zona norte do Rio de Janeiro. Eles estão reunidos com a delegada-chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, e com comandante-geral da Polícia Militar, Erir Ribeiro da Costa, além do vice-governador, Luiz Fernando Pezão. Ainda na manhã deste domingo eles devem anunciar em coletiva de imprensa o saldo da operação.

Em operação que durou cerca de 25 minutos e sem encontrar resistência, as forças de segurança ocuparam na madrugada deste domingo o Complexo do Caju, conjunto de favelas que, no total, abrange 13 comunidades, e a Barreira do Vasco, na zona norte da capital fluminense. A ação teve início às 5h. Com as comunidades ocupadas, a Secretaria de Segurança Pública do Estado deve instalar novas Unidades de Polícia Pacificadora, as UPPs, no local. No total, cerca de 20 mil moradores vivem no Caju, e outros 7 mil na Barreira do Vasco.

Mais de 1,3 mil homens do agrupamento Centro de Operações Especiais (COE) - que engloba, dentro da PM, o Batalhão de Operações Policiais Especiais, o Batalhão de Choque, o Batalhão de Ações com Cães e o Grupamento Aeromarítimo -, participaram da ocupação do Complexo do Caju. Blindados da Marinha - 17 unidades no total -, juntamente com 200 militares, deram apoio tático durante a ação.

Nos locais ocupados, está prevista a instalação de três UPPs: Parque Alegria, Parque Boa Esperança e Barreira do Vasco. Na primeira etapa das operações, o Bope, junto dos fuzileiros navais, permanecem nas comunidades fazendo o cerco por armas, drogas escondidas e membros da facção criminosa local, até a chegada do efetivo da PM (cerca de 500 homens, estima-se) que trabalhará permanentemente nas favelas.