Como presente de aniversário, Rio ganha greve de ônibus

O Rio de Janeiro comemora hoje 448 anos, e como presente de aniversário ganha uma greve dos rodoviários. A paralisação é de 24 horas, segundo os líderes do movimento. Uma assembleia realizada às 19h de quinta-feira decidiu pela greve, após rejeitar a proposta de 8% de reajuste salarial oferecida pelos patrões.

Às 10h haverá uma reunião entre as partes e, ao meio-dia, os motoristas e cobradores farão uma nova assembleia para discutir a contraposta patronal.

Por volta das 5h desta sexta-feira, os pontos da Central do Brasil estavam lotados. Muita gente não tinha conseguido ir para casa. Pela Avenida Brasil, só circulavam coletivos vindos da Baixada Fluminense. Nessa via fica localizada a garagem da empresa Real. Dezenas de piqueteiros estão na porta da empresa, tentando convencer os colegas a aderir à paralisação. 

Nos bairros do Méier, Tijuca, Grajaú e Maracanã as pessoas também esperam em vão  a passagem de um ônibus. No Engenho de Dentro, proximidades da Rua Adolfo Bergamini, a reportagem flagrou um carro com sindicalistas armados com pedaços de paus, perseguindo um ônibus apagado.

MetrôRio em operação especial em razão da greve dos Rodoviários

Com o anúncio da greve dos rodoviários, iniciada à zero hora desta sexta-feira (01/03), o MetrôRio realiza uma operação especial para absorver o provável aumento do número de usuários em suas estações, estimado em 15%. Toda a frota de trens do MetrôRio está disponível para atender aos usuários, com a extensão dos horários de pico. A operação será mantida até o final da greve. 

Para o atendimento aos usuários surpreendidos  pela Greve, o MetrôRio estendeu a operação de ontem (quinta-feira, 28/2) até 1h de hoje. 

Para orientar e auxiliar os usuários, especialmente os que estiverem migrando nesse dia para o metrô, entram em ação 46 promotores, colocados em pontos estratégicos das 35 estações. Os sistemas de comunicação do MetrôRio (som das estações, trens, mídias sociais e TV Metrô) estarão atualizando constantemente as informações ao público. Sinalização e impressos nas estações também serão utilizados com o objetivo de manter nossos clientes informados. 

Nas plataformas, a Concessionária disponibilizará mais de 400 agentes de segurança para fazer, caso seja necessário, o controle de fluxo dos usuários nas Linhas 1 e 2.

A estação terminal do MetrôRio na Zona Sul será em Siqueira Campos, devido ao fechamento, para obras da Linha 4, de Cantagalo e Ipanema/General Osório. O Metrô na Superfície, que é operado pelos rodoviários, não funcionará. Para reforçar a informação aos usuários dos ônibus de integração, haverá cartazes nas bilheterias e mezaninos, além de comunicações sonoras nas estações e vagões.