Para ministro, saída do papa aumenta importância da Jornada da Juventude

O ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse nesta terça-feira que a renúncia de Bento XVI e o esperado Conclave para a escolha do novo papa aumentarão a importância da Jornada Mundial da Juventude. O evento acontecerá no Rio de Janeiro entre os dias 23 e 28 de julho e pode marcar a primeira viagem internacional do novo Pontífice a ser escolhido.

“Temos o entendimento de que os últimos acontecimentos, com a renúncia do Santo Padre e com a esperada eleição do novo papa, realçam ainda mais a importância, o papel da Jornada Mundial da Juventude e o papel que o governo brasileiro e o povo brasileiro em conjunto, um papel da mais alta responsabilidade na preparação desse evento”, afirmou o ministro em abertura de reunião sobre a Jornada Mundial da Juventude.

Gilberto Carvalho ponderou que mesmo o Brasil sendo um Estado laico deve se empenhar para realizar um bom evento, uma vez que o evento religioso pode ter implicações positivas sobre outras áreas da sociedade.

“Nós entendemos que, pra além dos benefícios que a Jornada trará para uma comunidade religiosa, a Jornada sem duvida nenhuma transbordará nos seus benefícios, nas suas consequências, frutos, para toda a juventude brasileira, particularmente num momento em que a juventude brasileira ganha no governo uma preocupação especial quando, sobretudo a questão do índice de violência, particularmente em relação à juventude negra, o quanto temos consciência do beneficio que vai se trazer pra toda a juventude e também para o País”, acrescentou o ministro.

A iniciativa, que se realiza anualmente nas dioceses de todo o mundo, prevê a cada dois ou três anos um encontro internacional dos jovens com o papa, que dura aproximadamente uma semana. A última edição internacional foi em agosto de 2011, na cidade de Madri, na Espanha, e reuniu mais de 190 países.