Maracanã: operários voltam a trabalhar nesta terça-feira

Mas podem parar semana que vem, se consórcio não concluir as negociações para novo acordo coletivo

O trabalho no canteiro de obras do Maracanã será retomado nesta terça-feira (19), promete o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Pesada (Sitraicp), Nilson Duarte Costa. No entanto, a paralisação pode recomeçar na semana que vem, caso o Consórcio Maracanã - que reúne as empresas responsáveis pela reforma - não conclua as negociações para um novo acordo coletivo com a categoria até lá.

A greve de 24h havia sido decretada nesta segunda-feira (18), em advertência ao atraso nas negociações com os representantes do consórcio. No entanto, a possibilidade de que ela continuasse esta semana, ao menos por enquanto, foi descartada:

“Já estamos na terceira semana de fevereiro e até agora não negociamos nossas reivindicações. O que sabemos é que o Consórcio Maracanã quer fechar a convenção coletiva de trabalho, que envolve operários de todas as obras pesadas em andamento na cidade, e cuja reunião está marcada para a próxima quinta-feira (21) para só então fazer o acordo com o pessoal do Maracanã”, afirmou Duarte.

Segundo ele, a proposta enviada ao sindicato patronal defende reajuste salarial de 15%; cesta básica de R$ 330; plano de saúde também para familiares; participação nos lucros de dois salários, além de hora extra de 100%. Duarte participou, na tarde desta segunda, de uma reunião com o governador Sérgio Cabral, representantes do Consórcio Maracanã e uma comissão de três operários da obra, que representam os demais. Uma nova assembleia será realizada na próxima segunda-feira (25), no portão 13 do estádio, às 7h, para decidir o destino destes operários, de acordo com as medidas tomadas pelo Consórcio e o governo do estado após a greve.

Já que o prazo máximo de inauguração do estádio é até 24 de maio, os funcionários alegam que também desejam uma data limite para incorporarem os ajustes nos seus salários e benefícios. O estádio receberá a estreia da Copa das Confederações de 2013, marcada para 13 de junho.

Ainda segundo o sindicalista, há uma convenção separada dos outros sindicatos para os operários responsáveis pela construção do Maracanã, que prevê uma cesta básica maior e melhores salários em determinadas funções dentro da obra, garantidos após negociações feitas em detrimento da última greve dos funcionários. 

“Os trabalhadores não querem esperar o acordo geral que incluem todas as obras do Rio de Janeiro e de mais 32 municípios. A reivindicação é para que o estudo dos benefícios e salários dos funcionários do estádio mantenha-se separado, como foi feito em 2012”, explicou.

Maracanã em números

Orçada em R$ 869 milhões, a reforma do Maracanã mobiliza um exército de trabalhadores: 5,5 mil. O grande número de empregados pode ser explicado pela preocupação em entregar a obra dentro do novo prazo informado à FIFA. Inicialmente, o estádio, cuja reforma começou em dezembro de 2009, deveria ter ficado pronto em dezembro de 2012. Esse prazo foi adiado para fevereiro de 2013 e, posteriormente, para 15 de abril de 2013. Agora, a inauguração está marcada para o dia 28 de maio deste ano.

Ao longo das obras, o Consórcio Maracanã enfrentou outras duas greves de operários, em agosto e setembro de 2011.

Com informações da Agência Brasil