Hans Dohmann pede exoneração do cargo de secretário municipal de Saúde 

Saída temporária veio logo após denúncia de irregularidades quanto a hospitais da rede pública

O secretário municipal de Saúde do Rio, Hans Dohmann, pediu exoneração do cargo nesta segunda-feira (18). O pedido aconteceu um dia depois da reportagem do programa global Fantástico, veicular, na noite deste domingo (17), denúncias sobre irregularidades em relação à empresa de esterilização Form Steril, que abastecia hospitais da rede pública do município com materiais irregulares. 

A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do órgão, no entanto, foi justificado que a exoneração do secretário não se dá pelo fato das falhas terem vindo a público. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, Hans Dohman estaria deixando o cargo, temporariamente, apenas por ser a única maneira de ele tomar posse do cargo que passou, em concurso, na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A Secretaria informou ainda que o mesmo deva retomar o cargo de Secretário Municipal de Saúde ainda nesta semana. Segundo a sua assessoria, a posse deve acontecer nesta segunda-feira (18) à noite e, tão logo finalizados os trâmites, ele retorna à função.

Empresa de esterilização do Rio abastecia hospitais de forma irregular

A firma estava abastecendo 20 hospitais públicos, incluindo grandes emergências, com materiais irregulares, colocando em risco a saúde da população. Uma operação policial encontrou materiais como tubos para respiradores artificiais, nebulizadores, bisturis elétricos e até uma furadeira usada em cirurgias. 

Nas etiquetas constavam nomes de hospitais, maternidades, UTIs neonatais e emergências como destino. A empresa venceu uma licitação da prefeitura do Rio para esterilizar materiais de estabelecimentos públicos, mas o serviço só poderia ser feito em Piracicaba (SP). Por mês, a Forma Steril receberia R$ 3,9 milhões. As informações são do Fantástico.

Técnicos da vigilância sanitária municipal e estadual acompanharam o trabalho da polícia e encontraram caixas com materiais irregulares. Um dos sócios da empresa, que foi detido, alegou que o material era para teste. Os responsáveis pela Form Steril disseram que todos os produtos eram esterilizados em Piracicaba, mas o Fantástico foi até a empresa e verificou que nenhum material ia do Rio para lá. 

O governo do Rio de Janeiro afirmou que uma nova empresa deve ser contratada na próxima semana e o material apreendido pela polícia foi encaminhado para análise.

*Com informações do Portal Terra.