No Hospital da Posse, Bornier pede "sensibilidade" ao Ministério da Saúde

Segundo prefeitura de Nova Iguaçu, hospital deve R$ 126 milhões. Credor não recebe há 10 meses

O prefeito recém-empossado de Nova Iguaçu, Nelson Bornier(PMDB), após visitar o Hospital da Posse nesta sexta-feira(11), se declarou "muito satisfeito" com o que viu na unidade de saúde. Ele fez ainda um apelo referente ao repasse do Governo Federal ao Hospital:

"Espero que o ministro(Alexandre Padilha) se sensibilize com as verbas do hospital. Precisamos delas para trabalhar, se não fica impraticável", disse Bornier. Segundo ele, o valor repassado ao Hospital Geral de Nova Iguaçu é de aproximadamente R$ 5 milhões, enquanto o valor repassado a outros hospitais federais é de R$ 12 milhões.

Bornier, em reunião com o gabinete de crise na saúde, também adiantou detalhes sobre uma reunião entre os prefeitos da Baixada Fluminense, na próxima sexta-feira (18), para regionalizar os salários dos médicos na região, e usou o hospital como exemplo:

"No Hospital da Posse, temos 2500 funcionários. Há servidores federais, estaduais, terceirizados e municipais. Já conversei com o Alexandre Cardoso sobre isso e vamos nos encontrar daqui a oito dias. Essa questão com certeza estará na pauta", afirmou o prefeito iguaçuano.

Luiz Antonio Teixeira, presidente do Gabinete de Crise na saúde do município e que responde como secretário, garantiu que duas novas emergências serão inauguradas dentro do Hospital da Posse nos próximos 40 dias. Ele lembrou o péssimo estado no qual o hospital foi encontrado há uma semana, na primeira visita de Bornier:

"Havia esgoto saindo nos ambulatórios, morcegos nas salas onde estarão as novas emergências, gente nos corredores, muito desagradável. Em nove dias, fizemos o que foi possível, mas já não há gente nos corredores. Estamos começando a caminhar", availou Teixeira.

>>>>>> Prefeito ataca Sheila Gama, que se defende

A construção de um novo Hospital de Trauma e Oncologia, de administração estadual, foi confirmada por Teixeira, com inauguração para 2014.

"Principal problema de Nova Iguaçu"

Perguntado sobre a situação dos postos de saúde e clínicas da família no município, Bornier reconheceu que o quadro atual é "péssimo". Porém, ele usou um expediente curioso para justificar a atuação no Hospital da Posse, que classificou como o "principal problema de Nova Iguaçu":

"Se a gente resolve o problema do hospital geral da posse, vai ser muito fácil resolver problemas de postinhos de saúde. Vamos do gigante para a criança pequenininha", comparou o prefeito. "Na época que eu administrei Nova Iguaçu(1997 a 2003), esse hospital funcionava. E vai voltar a funcionar", garantiou, em tom eleitoreiro. 

A dívida do hospital, segundo levantamento feito pela prefeitura de Nova Iguaçu, chega R$ 126 milhões, sendo que o credor não recebe o dinheiro há dez meses.