Nelson Bornier vai a Padilha buscar recursos para Hospital da Posse

Prefeito de Nova Iguaçu irá a Brasília para tentar sensibilizar ministro da Saúde

O prefeito de Nova Iguaçu, Nelson Bornier (PMDB), vai apelar ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, para conseguir recursos para o Hospital da Posse, que o motivou a declarar estado de calamidade pública na saúde do município. A unidade, uma das principais da Baixada Fluminense, é responsável pelo atendimento de cerca de 4 milhões de pessoas na região, segundo dados da prefeitura.

O prefeito recém-empossado já entrou em contato com o governo federal e enviou um relatório com a situação da unidade de saúde, descrita por ele como dramática. Segundo o levantamento preliminar feito pelo gabinete de crise criado para avaliar o hospital, é preciso que o ministério repasse ao menos R$ 15 milhões por mês - mesmo patamar do que é repassado aos 11 hospitais federais do Rio de Janeiro -, para que o funcionamento da unidade seja reestabelecido integralmente. Hoje, o valor não passa de R$ 5 milhões, 33% do necessário.

O Hospital da Posse convive com todo tipo de problema. Além da falta de médicos, os que atuam no local recebem salários muito diferentes, já que funcionários da União, estado e município convivem na unidade. Há problemas estruturais como infiltrações, falhas na rede elétrica e mofo. Também faltam leitos, roupa de cama, alimentação e medicamentos básicos.

Bornier vai se reunir com Padilha na próxima semana, em Brasília, para sacramentar o envio dos recursos em caráter de urgência. O prefeito também intercedeu junto ao secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, para conseguir manter o funcionamento do hospital. Sem recursos, a prefeitura não é capaz de arcar com os insumos básicos para que os profissionais de saúde atuem, como gazes e luvas descartáveis, entre outros. Côrtes se comprometeu a fornecer os materiais em falta.