Caminho Niemeyer: cinema, só em 2014. E olhe lá!

Edital de concessão do espaço deve ser cancelado a pedido do novo prefeito

Com apenas onze salas de cinema para todos os seus 490 mil habitantes, Niterói está cada dia mais longe de ver a inauguração do Centro Petrobras de Cinema, que ofereceria outros seis pontos de exibição na cidade. O edital de concessão do prédio, projetado por Oscar Niemeyer, e que se encontra abandonado e à mercê do tempo, só prevê seu funcionamento para daqui a um ano. Como o este edital pode ser suspenso nos próximos dias, a demora deverá ser ainda maior. 

Tal situação já preocupa a Petrobras, que financiou o projeto com R$ 12 milhões. Em nota emitia nesta segunda-feira (10), a empresa manifestou "sua preocupação com este Centro - cuja construção ela patrocinou - junto aos responsáveis e acompanha o processo com atenção". No entanto, não informa quais medidas adotará para garantir que o espaço comece a operar com a função prevista no contrato de patrocínio.

>> Um Niemeyer na Favela: Igreja São Daniel, em Manguinhos, está abandonada

O Edital que abre a disputa pela concessão para explorar o espaço foi preparado pela administração do atual  prefeito Jorge Roberto Silveira (PDT) porém a equipe do prefeito eleito, Rodrigo Neves (PT), já está pedindo que ele seja suspenso. 

Através de sua assessoria de imprensa, o grupo de transição de Rodrigo Neves (PT) justificou o pedido de cancelamento da concessão para poder 'avaliar melhor' o projeto. Todavia, não definiu datas para lançar um novo edital ou colocar os cinemas em operação.

"Por enquanto, não houve nenhuma solicitação oficial de cancelamento do edital, que está mantido", alegou o presidente da FAN, Marcos Sabino. "Soube do pedido do prefeito eleito, e acredito que ele deve ser atendido nesta questão nos próximos dias. Mas o edital segue em aberto, pois não fui oficializado".

Páreo esvaziado

O edital foi publicado pela Fundação de Artes de Niterói (FAN) e prevê que o concessionário escolhido deve 'viabilizar a instalação e implantação de 6 (seis) salas de cinema, com equipamentos de primeira geração e modernas instalações e acomodações, no prazo de 10 (dez) meses, a contar do início da assinatura contratual'. A escolha do novo explorador pode demorar até dois meses.

Ainda segundo o edital, os postulantes à concessão do espaço devem estar aliados a 'grupo empresário exibidor de filmes' com 'no mínimo 70 (setenta) salas de projeção, livremente distribuídas pelo território nacional ou no exterior'. Tal trecho do documento restringe o número de empresas participantes da disputa. 

Dados do Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual (OCA), vinculado à Agência Nacional de Cinema (Ancine), em análise da atividade durante o ano de 2011, apontam que apenas oito grupos exibidores brasileiros operam as 70 salas exigidas.

Estacionamento

Além das seis salas de cinemas, lojas os demais espaços nos prédios, o  edital concede, também, o direito de exploração do "estacionamento de veículos com 450  vagas no interior da Concha Acústica". Localizado a poucos metros da Estação Araribóia das Barcas, que seria outra boa fonte de lucros para o concessionário.