Valcke é recebido com protesto de indígenas no Maracanã

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, foi recebido com protesto na sua visita oficial ao Estádio Maracanã na tarde desta segunda-feira. Onze índios fizeram danças e entoaram gritos de guerra em frente ao local.

O protesto é contra a remoção da Aldeia Maracanã, que ocupa o antigo prédio do Museu do Índio, vizinho ao estádio. O governo do estado pretende demolir o prédio para aumentar a capacidade de estacionamento do estádio durante a Copa do Mundo de 2014.

Os índios entregaram uma carta ao dirigente pedindo que não haja a demolição do museu. "É muita falta de respeito tentar tirar os índios que já viviam ali muitos anos antes do projeto do Maracanã", afirmou o cacique Carlos Tukano, que mora na aldeia há seis anos. "Aguardamos uma posição da Fifa em defesa da minoria", completou.

Tukano lembrou ainda que o museu carrega a memória dos povos indígenas do passado e do presente. Representantes da escola municipal Friedenreich, que também será removida, e dos parques aquático e de atletismo, que terão o mesmo fim, também estão no local. 

Com Portal Terra