Após passeata que interditou Rio Branco, manifestantes chegam à Cinelândia

Após a passeata que interditou a Avenida Rio Branco, no Centro do Rio, na manhã desta quinta-feira, os servidores federais em greve chegaram à Cinelândia por volta das 13h. Cerca de 3.000 pessoas participaram da manifestação, empunhando cartazes e faixas com críticas ao governo por não atender as reivindicações do setor. 

"Servidor na rua... Dilma a culpa é sua" e "Povo unido e povo forte não teme a luta, não teme a morte", cantaram os manifestantes durante a passeata.

Os servidores recebem apoio das pessoas que jogavam papel picado das janelas dos edifícios

Participaram da passeata servidores do Ministério da Fazenda, da Defesa, Arquivo Nacional, Agricultura, Turismo, Previdência, Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Federal (PF).

Uma equipe de 80 operadores da CET-Rio, apoiados por guardas municipais, estiveram na região, orientando o tráfego e implementando desvios de trânsito. Apesar disso, os motoristas enfrentaram grandes congestionamentos no Centro da cidade. 

A Avenida Rio Branco chegou a ser totalmente ocupada pelos manifestantes. Policiais militares também acompanharam a manifestação.

Os trabalhadores reivindicam, entre outras coisas,  aumento do valor do vale transporte e alimentação, e reajuste salarial.

Ontemagentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizaram blitzes nos dois sentidos da Ponte Rio-Niterói, provocando grandes congestionamentos. Os policiais querem um plano de cargos e salários e concurso para suprir o déficit de 4.000 vagas no órgão.