Nem da Rocinha é absolvido em processo por corrupção passiva

O juiz Ricardo Coronha Pinheiro, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, absolveu o traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, no processo a que respondia por corrupção ativa. Nem era acusado de tentativa de suborno a policiais durante sua fuga da Rocinha, em novembro do ano passado.

Segundo o magistrado, não há provas de que Nem teria participado da tentativa de suborno.

Também presos em flagrante em companhia do traficante, os advogados Demóstenes Armando Dantas Cruz e Luiz Carlos Cavalcanti Azenha, que teriam oferecido R$ 20 mil aos policiais do Batalhão de Choque, foram condenados por corrupção ativa e favorecimento pessoal.

Como são réus primários, tiveram a pena de dois anos e um mês de prisão substituída por prestação de serviços à comunidade pelo tempo em que ficariam presos, além do pagamento de cestas básicas de dez salários mínimos para uma instituição ainda não definida.

Apesar da sentença, Nem continuará preso e ainda é réu em processos por tráfico de drogas, sequestro e cárcere privado, entre outros.