Inaugurado há cinco anos, velódromo  que custou R$ 14 milhões será demolido

O Comitê Organizador das Olimpíadas 2016 determinou que o velódromo do Rio, inaugurado há cinco anos, seja demolido. O órgão informou que o velódromo, construído para os Jogos Pan-Americanos, em 2007, oferece risco aos atletas e está fora dos padrões olímpicos, segundo reportagem do RJTV.

O local custou R$ 14 milhões aos cofres públicos, sendo cerca de R$ 1 milhão, gastos pela Prefeitura, e R$ 13 milhões pelo Ministério do Esporte.

O comitê apontou algumas falhas como a existência de duas pilastras centrais, que não poderia existir em um velódromo olímpico. De acordo com a instituição, elas também impedem a confirmação dos recordes já que atrapalham a visualização dos juízes.

Além disso, o número de cadeiras é considerado baixo. O velódromo tem capacidade de 1.500 e precisa ter espaço para cinco mil pessoas. Outro ponto que também deve ser ampliado é o número de boxes e vestiários. Em relação a segurança dos atletas, o Comitê Organizador Rio 2016, explicou que a pista deveria ter curvatura e inclinação diferentes.

Durante os preparativos para o Pan 2007, o objetivo do Governo Federal, da Prefeitura e da Federação Internacional dos Ciclistas era construir uma pista permanente para que ficasse de legado para os atletas, mas a decisão aconteceu tarde demais e não foi possível fazer nas especificações olímpicas.

Segundo o diretor do Comitê Organizador Rio 2016, o velódromo atendia ao Pan porque os atletas, que concorrem neste tipo de evento, andam a uma velocidade mais baixa. Já para o nível olímpico, o local não apresenta os requisitos de segurança necessários para os atletas".

A pista do velódromo será transferida para outro estado e o terreno ocupado atualmente será vendido à iniciativa privada

O ex-prefeito César Maia explicou por meio de nota que a estrutura foi construída com recursos federais e, na época a prefeitura pretendia fazer uma estrutura provisória.

Já o Ministério do Esporte afirmou que a construção do velódromo foi uma decisão da prefeitura do Rio, que ficou responsável por definir as especificações junto ao Comitê Organizador. O órgão federal teria apenas pago pela pista.

A Prefeitura do Rio informou que ainda não recebeu pedidos para um novo espaço para treinamentos. O COB, o ministério e a prefeitura informaram que vão buscar um meio de não prejudicar a preparação dos atletas que treinam no local.