Na inauguração de UPPs do Alemão, Cabral agradece o bilionário Eike Batista

Na inauguração das novas sedes das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro da Fazendinha e da Nova Brasília, no Complexo do Alemão, na manhã desta segunda-feira (9), nem os generais que comandaram o exército que ocupou a comunidade por mais de um ano mereceram tantos elogios do governador Sérgio Cabral quanto o empresário Eike Batista. Cabral fez questão de destacar a participação do bilionário na construção das unidades.

"Só havia um caminho para que vencêssemos a letargia que dominava o estado. Eike Batista teve uma participação especial. A iniciativa privada deve participar do processo da construção da paz", disse o governador. O empresário bancou a construção das duas unidades - que servem não apenas como base administrativa, mas também como alojamento da tropa. A UPP da Fazendinha custou R$ 1,67 milhão, e a da Nova Brasília, R$ 1,189 milhão. Eike não compareceu à cerimônia, mas mandou um diretor da EBX representá-lo.

Cabral também agradeceu ao Exército Brasileiro, citando o nome do ex-ministro da Defesa, Nelson Jobim - que ocupava o cargo na época da ocupação da comunidade, em novembro de 2010 - e destacou a "firmeza incrível" do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nas duas unidades da comunidade - que tem 40 mil moradores - vão trabalhar 660 agentes policiais. 

Seis generais do Exército participaram da solenidade, além do ministro da Defesa, Celso Amorim, do comandante das UPPs, Rogério Seabra, do comandante-geral da Polícia Militar, Erir Ribeiro Costa Filho, e do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame.

"Deixamos o Alemão com a sensação de dever cumprido. No início, usávamos capacetes, coletes e as pessoas tinham medo de olhar nos nossos olhos. Conseguimos ganhar a confiança da população com o passar do tempo. Foi uma operação difícil", lembrou o chefe do Comando Militar do Leste, coronel Adriano Pereira Júnior, que comandou a Força de Pacificação.

O ministro da Defesa, Celso Amorim, destacou o sucesso da operação do Exército, que deixa oficialmente a região nesta segunda-feira. "Ao garantir a lei e a ordem no Complexo do Alemão, o Exército Brasileiro cumpriu seu papel. Nossos homens garantiram não só a defesa, mas o pleno exercício da cidadania por parte da população".

O Exército iniciou a ocupação do Complexo do Alemão no fim de 2010, após a realização de uma operação no local para combater o tráfico e a criminalidade.