Rio dá início ao World Bike Tour nas areias de Copacabana 

Foi dada a largada para o World Bike Tour Rio de Janeiro, o maior evento ciclístico do mundo que será realizado pela primeira vez na cidade Maravilhosa. O secretário de Transportes, Julio Lopes, participou da inauguração do evento e aproveitou para pedalar em uma das doze bicicletas que compõem a instalação “Volta ao mundo”, que tem objetivo de estimular turistas e cariocas a percorrerem o total de 42 mil Km, percurso equivalente a uma volta completa em torno da Terra. Quem passou pelo local também pode ver de perto a bicicleta gigante, instalação símbolo do evento desde sua primeira realização em Portugal, em 2006.

O equipamento “Volta ao mundo” também é um gerador de energia, capaz de abastecer todo o consumo demandado pelo evento. Conforme as pessoas pedalam sobre a grande instalação fixa, sensores armazenam a energia em baterias, que alimentam toda iluminação, som e TVs.

Para Julio Lopes, o fato do Rio receber esse evento de prestígio internacional simboliza o grande avanço na cultura do uso da bicicleta no Estado do Rio.

- A cidade já possui a segunda maior malha cicloviária da América do Sul. A nossa meta é aumentar de 5% para 10% o índice de deslocamento por bicicleta no Rio até 2014. A chegada do World Bike Tour prova nossa vocação para o ciclismo, e só tem a ajudar a disseminar esta prática cidadã, saudável e eficiente - disse Julio Lopes.

Para o presidente do World Bike Tour, o português Diamantino Nunes, que afirmou ter pedalado pelas ciclovias do Rio nas vezes que esteve na cidade, o evento tem a missão de atrair os olhos da população para o uso da bicicleta.

- O World Bike Tour tem o objetivo de estimular o uso da bicicleta como meio de transporte, lazer, e de exercício. Através desse evento, visamos difundir também o uso continuo desse meio de transporte com segurança. Temos contribuído para isso em diversas partes do mundo, é claro que o Rio de Janeiro não poderia ficar fora disso - contou Diamantino, adiantando que as próximas cidades a sediar o passeio ciclístico serão Maputo, em Moçambique, Luanda, na Angola, e Paris, na França.

O evento contou ainda com a presença do subsecretário municipal de Ambiente, Altamirando Moraes. Também esteve presente o diretor do Banco Mundial na América Latina, Arturo Ardila, responsável pela viabilização de diversos projetos em prol da mobilidade sustentável no estado do Rio.

- A preocupação do Banco Mundial é criar uma mobilidade sustentável, seja através do uso da bicicleta, ou mesmo incentivando a caminhada. Este é um dos métodos de transportes mais eficientes nos grandes centros. Outra coisa importante é a contribuição dada pela bicicleta como transporte de integração. O Banco Mundial participa ativamente destas iniciativas, dentro e fora do Rio de Janeiro - explicou o diretor do Bird.